DONATIONS luisinhofreitas@gmail.com

Monday, January 31, 2011

Egito. Novo complicador. Queda de braço entre o 007 Suleiman e o pacifista El Baradei, apoiado pela Fraternidade Muçulmana

Blog Sem Fronteiras

Por Wálter Fanganiello Maierovitch, jurista e professor


1. Não há mais dúvida que na complexa geopolítica médio-oriental  Hosny Mubarak, ditador do Egito por quase 30 anos, já é carta fora do baralho.
No momento, o problema é saber quem conduzirá o país durante a transição e até a eleição de outubro. Ou, no caso de antecipação do calendário eleitoral (objeto de desejo da Fraternidade Muçulmana), quem garantirá posse aos vencedores.
Como até  múmias sabem, a Fraternidade Muçulmana é a  organização política mais bem organizada. Numa eleição livre, terá, segundo os analistas ocidentais de inteligência, maioria parlamentar.  
Ontem no período vespertino, na praça Thair e quase abafado pelo barulho intimidador  dos voos rasantes voltados a fazer valer o toque de recolher,  Mohamed El Baradei,  ganhador do Nobel da Paz, deixava clara a sua posição : “Estamos no início de uma nova era e não podemos voltar atrás. Hosni Mubarak deve cair fora. O povo é o titular desta revolução. Vocês representam o futuro do Egito”.
Antes de se manifestar na praça Thair, o pacifista El Baradei deu entrevista à CNN. Ele revelou estar disposto a assumir a presidência temporária do Egito para “uma transição à democracia”.
Num lance de xadrez bem jogado, a Fraternidade Muçulmana apóia a pretensão de El Baradei e, assim, se apresenta, no que toca a transição, como moderada e a deixar a questão religiosa de lado.
Com tal postura, a Fraternidade cala vozes de republicanos norte-americanos e direitistas israelenses. Ambos apostam num segundo Irã, caso os extremistas islâmicos assumam o poder.
O Exército impôs a Mubarak o general Omar Suleiman, um super 007.
Suleiman, que está há 20 anos no comando do serviço de inteligência do Egito,  foi guindado ao cargo de vice-presidente para, numa transição, ocupar o cargo deixado pelo renunciante.
Para o Exército, o pacifista El Baradei não será o comandante da sucessão. Os generais temem estar El Baradei sendo manipulado pelos radicais islâmicos para, num futuro próximo e após a implantação de um Estado teocrático, ser atirado fora.
PANO RÁPIDO. Desta vez, o WikiLeaks ajudou o presidente Barack Obama.
Conforme divulgado pelo WikiLeaks, o presidente Obama estava preocupado e pressionava Mubarak a fim de este implantar um regime democrático e de respeito a direitos humanos.
Só para lembrar, a “doutrina Bush” defende a democracia.  George W. Bush, no seu rancho no Texas, recebeu como hóspede de honra, além de Álvaro Uribe, o saudita Rei Abdullah, de 86 anos de idade. Ele reina na Arábia Saudita desde 2005 e  nunca  respeitou direitos humanos.
No fundo, poucos sabem como será o efeito dominó. Teve início na Tunísia e passa pelo Egito. Será que alcançará Marrocos, Síria, Arábia Saudita, Mauritânia, Argélia, Líbia, Jordânia e Iêmen? Terra Magazine

Mercedes-benz anuncia recall de 26.940 ônibus e caminhões

A Mercedes-Benz do Brasil anunciou nesta segunda-feira dois recalls para 26.940 veículos, que abrangem ônibus e caminhões. Foram convocados a fazer a manutenção os ônibus de chassis OF 1722 e OF 1721.

Segundo o comunicado, as duas linhas podem apresentar uma danificação em molas do eixo traseiro, que podem levar à quebra de grampos e afetar a dirigibilidade do veículo. O anúncio afeta proprietários de 13.400 unidades fabricadas entre julho de 2008 e setembro de 2010, de números de chassis entre 9BM 384075 8B 610005 e 9BM 384078 BB 757912.

A montadora convocou também 13.540 proprietários de chassis para ônibus O 500 MA e de versões 6X2 dos caminhões L 1620, Atego e Axor. Os modelos, segundo a empresa, podem perder dirigibilidade por um problema nos rolamentos das rodas.

A manutenção atinge proprietários de unidades do O 500 MA fabricados entre outubro de 2009 e setembro de 2010, de números de chassis entre 9BM382154 9B 666132 a 9BM382154 BB 750204.

O recall dos caminhões 6X2 L1620 abrange modelos produzidos entre dezembro de 2009 e setembro de 2010, de chassis 9BM695302 9B 686101 a 9BM695304 BB 745808. Já para os caminhões Atego 2425 e 2428, a convocação envolve os chassis de BM958094 9B 685052 a 9BM959096 BB 750558.

Os modelos Axor 2533, 2535, 2540 e 2544 afetados no anúncio compreendem os chassis de 9BM958254 9B 684903 a 9BM958254 BB 751 493.

A Mercedes-Benz enviará cartas para convocar os proprietários afetados pelo recall. Entre os intervalos de chassis, há veículos que não necessitam da manutenção. Os donos de caminhões e ônibus podem tirar dúvidas pelo telefone 0800 970 90 90 ou pelo site. Folha Online

Apresentador brasileiro do canal E! morre aos 27 anos

O apresentador Gilberto Scarpa morreu de sábado para domingo, aos 27 anos.

Desde agosto de 2010, ele comandava o programa "Brasil Bites", revista eletrônica sobre celebridades do canal pago E! Entertainment.

Scarpa também era noivo da atriz e escritora Cibele Dorsa. Por meio do Twitter, ela comentou a notícia no domingo.

"Meu noivo se suicidou essa noite, com ele morto eu me sinto morta", escreveu. 

"Prefiro ir com ele, minha força não faz mais sentido. Quero ir encontrá-lo".

O E! Entertainment divulgou uma nota dizendo ter recebido a notícia "com muito pesar" e prestando solidariedade à família.

O enterro do corpo do apresentador ocorreu ontem, em Campinas. Folha Online

Cantor Bruno Mars é condenado após ser pego com cocaína

O cantor Bruno Mars foi condenado nesta segunda-feira por ter sido pego com cocaína em setembro último.

De acordo com a revista "NME", Mars, cujo nome verdadeiro é Peter Hernandez, foi visto na época carregando um saco de pó branco por um atendente em um hotel de Las Vegas. Ele foi preso após testes confirmarem que a substância era mesmo cocaína.

Mars ficará um ano em condicional e terá que pagar multa de US$ 2.000, além de contribuir com 200 horas de trabalho comunitário e frequentar centros de reabilitação.

Neste ano, Bruno Mars recebeu sete indicações ao Grammy, maior prêmio da música. Folha Online

Caetano Veloso conta que filhos são evangélicos da Universal

O músico Caetano Veloso abriu as portas do seu apartamento no Leblon, no Rio, para a revista Serafina, e conversou sobre família, carreira e política. Entre outras coisas, contou que seus dois filhos mais novos são evangélicos frequentadores da Igreja Universal do Reino de Deus.

Os meninos, Tom e Zeca, são filhos dele com Paula Lavigne, sua última mulher e atual empresária. "Minha geração teve que romper com a religiosidade imposta, a deles teve que recuperar a religiosidade perdida", disse o cantor sobre o assunto.

A respeito do crescente poder dos evangélicos no Congresso e na mídia, relativiza: "A Record não tem mais rabo preso com o bispo do que a Globo tem com o cardeal".

Assinantes da Folha e do UOL podem ler aqui a íntegra da entrevista, feita por Morris Kachani. Folha Online

Colin Firth e Natalie Portman são premiados pelo Sindicato de Atores dos EUA

Colin Firth e Natalie Portman obtiveram neste domingo os prêmios de Melhor Ator e Atriz do SAG (Sindicato de Atores de Hollywood, na sigla em inglês) por seus trabalhos em "O Discurso do Rei" e "Cisne Negro", respectivamente.

Além disso, "O Discurso do Rei", filme britânico de Tom Hooper sobre a gagueira do rei Jorge 6º da Inglaterra, conseguiu o prêmio por seu elenco.

"O Vencedor" conseguiu os prêmios de ator e atriz coadjuvante, que foram para Christian Bale e Melissa Leo.

No campo destinado à televisão, destaque para os prêmios obtidos pelos elencos das séries "Boardwalk Empire", na vertente dramática, e  "Modern Family", na comédia.

Steve Buscemi ficou com a estatueta de atuação em série dramática, por "Boardwalk Empire"', enquanto Julianna Margulies ganhou por atuação em série dramática por "The Good Wife".

Alec Baldwin e Betty White conseguiram os prêmios por atuações em comédia, por "30 Rock" e "Hot in Cleveland", respectivamente.

Além disso, Al Pacino e Claire Danes ficaram com os prêmios de ator e atriz em minissérie ou filme para TV, por "You Don't Know Jack" e "Temple Grandin", respectivamente. Folha Online

Homicídios caem 14,38% em relação a 2009 na Grande São Paulo

O número de homicídios dolosos (com intenção de matar) em 2010 na Grande São Paulo caiu 14,38% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Secretaria de Segurança Pública. Em 2010 foram registrados 1.203 homicídios dolosos --173 casos a menos do que em 2009.


No sábado (29), o governador Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que o Estado fechou o ano de 2010 com a menor taxa de homicídios desde 1999: 10,47 por grupo de 100 mil habitantes. Quando comparado com o ano de 1999, quando o índice foi de 35,27, a queda é de 70,3%. A taxa atual é menor do que a metade da média nacional, 24,5.

Foram 4.320 homicídios intencionais em 2010, o que representa diminuição de 5,35% em relação a 2009, quando foram registradas 4.564 casos. O balanço completo das estatísticas de criminalidade do Estado foi divulgado na tarde desta segunda-feira.

Ainda de acordo com a secretaria, as tentativas de homicídio na Grande São Paulo também diminuíram. Foram registradas 1.022 tentativas de homicídios em 2010, contra 1.081 em 2009 --queda de 5,46%.

Em todo o Estado, houve redução de 2,96%, com 153 casos a menos do que no ano anterior. Foram registradas 5.023 tentativas de homicídios em 2010, contra 5.176, em 2009.

CRIMES

Os roubos seguidos de morte (latrocínios) caíram 16,5%, de 303 para 253 casos, segundo o órgão.

Também houve redução dos roubos de cargas, de veículos e dos roubos em geral. Os roubos de cargas diminuíram 6,2%, com menos 482 casos que os registrados em 2009. Os roubos de veículos retrocederam 4,54%, com menos 3.262 casos em relação ao ano passado. Já os roubos em geral recuaram 9,47%, com menos 23.591 casos.

Entre os crimes cometidos sob ameaça de armas, os roubos a banco tiveram a queda mais expressiva: caíram 16,6%, com registro de 211 casos em 2010, contra 253 em 2009. O total de roubos a banco é inferior em 42 casos ao registrado no ano anterior.

CRIMES DE OPORTUNIDADE

Entre os crimes de oportunidade, sem uso aparente de armas, os furtos em geral tiveram queda 4,26% em relação a 2009, com 22.530 casos a menos. Já o número de furtos de veículos em 2010 caiu 4,32%, com 4.552 casos a menos que o registrado no ano anterior.

As estatísticas da criminalidade mostram que houve aumento de 9,09% no número de ocorrências de tráfico de entorpecentes, com 2.535 casos registrados a mais em relação ao ano anterior. Foram anotados 30.421 flagrantes de tráfico de drogas em 2010, contra 27.886 em 2009.

ESTUPRO

A nova legislação que tipifica o crime de estupro passou a incluir nesta modalidade criminal os casos de atentado ao pudor e ato obsceno. Com a mudança, o número de estupros cresceu 75%.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, a elevação não reflete necessariamente um aumento da violência sexual. "Só depois que a nova legislação completar o primeiro ano de existência, no segundo semestre, será possível verificar se o número de estupros está, de fato, em alta ou em baixa", informou o órgão.

GOVERNO

O governador Geraldo Alckmin comemorou os resultados das Estatísticas da Criminalidade, levantamento divulgado hoje pela Secretaria de Segurança Pública, com dados de 2010.

Segundo ele, há quase dez anos o Estado registra melhoras em seus índices. 'A queda não se limitou a números isolados. É uma tendência', ressaltou.

O governador falou sobre os dados no início da tarde, pouco antes da divulgação oficial. Ainda assim, Alckmin fez questão de destacar a queda no número de homicídios.

"O mais importante é crime contra a vida, que continua caindo. Caiu mais de 5% no ano passado em relação ao ano anterior, nós estamos com 10,4 [por cem mil habitantes]. O Brasil é 24 e nós estamos com menos da metade da média brasileira", afirmou. Folha Online

Grupo de turistas no Cairo não sabe quando voltará ao Brasil

Em meio à crise política no Egito, um grupo de 16 brasileiros permanece em um hotel perto do centro do Cairo, a capital do país, sem saber ao certo quando poderão viajar de volta ao Brasil.

A servidora pública federal Luise Assad disse que ela chegou no dia 26 de janeiro ao país juntamente com um grupo de brasileiros para fazer um cruzeiro turístico e participar do casamento de uma amiga.

"Mas agora estamos ansiosos para voltar ao Brasil. Conseguimos antecipar o voo para esta quarta-feira, mas não sabemos se conseguiremos embarcar", disse Assad, que mora em Brasília.

"Quando chegamos ao Egito, já haviam protestos, mas a situação ainda estava boa. Fomos ao museu, às pirâmides e visitamos o centro do Cairo".

Na última sexta-feira, houve confrontos abertos entre as forças de segurança e ativistas, paralisando o Egito. O aeroporto do Cairo cancelou vários voos e, desde então, turistas de todo o mundo lotam os terminais esperando embarcar de volta a seus países de origem.

CRUZEIRO CANCELADO

Luise contou que a situação ficou ainda mais crítica quando o cruzeiro, programado para o sul do Egito, foi cancelado. O governo havia fechado todos os pontos turísticos do país por falta de segurança.

"Começamos a ficar nervosos. Passamos os dias entre os quartos e o saguão do hotel. Isso nos deu uma angústia muito grande".

A irmã de Luise, a médica brasiliense Daniela Assad, contou à BBC Brasil que, na noite do dia 28 de janeiro, quando os manifestantes começaram a enfrentar a polícia pelo Cairo, confrontos ocorreram na avenida em frente ao hotel.

"De repente, as sirenes de emergência do hotel tocaram e muitos saíram correndo, pegando passaportes e dinheiro. Mas eu sou diabética e minha preocupação era pegar meus remédios", contou Daniela.

Ela disse que o gás lacrimogêneo usado pela polícia para dispersar a multidão chegava aos andares superiores do hotel, incluindo o oitavo andar, onde estava.

"O gás entrava no hotel e as pessoas gritavam histéricas. Eu fiquei muito assustada", relembrou.

Daniela foi ainda nesta segunda-feira para o aeroporto, onde deve aguardar seu voo, marcado para amanhã.

"Só quero ir embora agora, espero poder embarcar".

VESTIDO DE NOIVA

A dentista Renata Ávila, de Belo Horizonte, aparentava mais tranquilidade após as tensões dos últimos dias.

"No início foi difícil, mas depois acostumei. Quero voltar para o Brasil, mas pretendo retornar ao Egito em outra oportunidade", disse.

Renata contou que a tensão foi maior quando o gás lacrimogêneo entrou pelas janelas e portas do hotel.

"Havia também o cheiro dos carros queimados na rua em frente ao hotel. Eu achei que ia ocorrer algo pior".

O estilista Paulo Araújo, também de Brasília, veio ao país árabe para trazer um vestido feito por ele para o casamento de uma brasileira.

"Não vou esquecer aquela sexta-feira (dia 28) quando estávamos no hotel e eu desci levando o vestido para ir ao outro lado do Cairo. O motorista estava nervoso, dizendo que lá fora os manifestantes e a polícia estavam se confrontando".

Mas ele disse que por volta das cinco horas da tarde na hora local (13h no Brasil), policiais e jovens pararam no meio da rua e começaram a rezar.

"Era o horário da oração muçulmana, e vi ali a oportunidade de sairmos com o carro em direção ao local do casamento".

O estilista contou ainda que, durante o trajeto, seu motorista passava por barricadas feitas pelos manifestantes, subia nas calçadas e dirigia na contramão.

"Nesse momento, eu estava com meu celular do Brasil e consegui um breve sinal para ligar para os meus pais para tranquilizá-los", disse.

Araújo explicou que era a terceira vez que vinha ao Egito e que nunca imaginou que o país passaria por uma convulsão política como a atual. BBC Brasil

Estudante morreu após confronto em protesto no Sudão, dizem ativistas

Ativistas sudaneses disseram nesta segunda-feira que um estudante que ficou ferido em um confronto com as forças de segurança do país no domingo, durante um protesto contra o governo, não resistiu aos ferimentos e morreu.

Mohammed Abdulrahman era aluno da Universidade Ahaliya em Omdurman, cidade perto da capital, Cartum, e palco de confrontos no domingo.

Os manifestantes, a maior parte deles estudantes, têm ido às ruas para protestar contra o alto custo de vida e a falta de liberdades políticas e civis no Sudão. Eles querem a renúncia do presidente Omar al Bashir, no cargo desde 1989.

Os organizadores dos protestos dizem que o movimento foi inspirado pela onda de manifestações no Egito e na Tunísia e prometem voltar às ruas.

Há relatos de que universidades de Cartum e outras cidades foram nesta segunda-feira cercadas por forças de segurança, e algumas foram fechadas.

MÁRTIR

"Você é nosso mártir, Mohamed Abdelrahman", disseram ativistas em um grupo do Facebook intitulado "Juventude por Mudanças", em árabe, de acordo com a agência de notícias Reuters.

O governo não comentou a notícia da suposta morte do estudante.

Autoridades dizem ter prendido cerca de 70 pessoas no domingo, mas muitas foram soltas depois.

O correspondente da BBC em Cartum James Copnall diz que os protestos ocorrem num momento difícil para o presidente Bashir.

No domingo, resultados de um referendo mostraram que 99% da população do sul do país votou pela secessão da região.

Segundo Copnall, caso de fato ocorra, a independência do sul, território rico em petróleo, afetará a economia do norte e o prestígio de Bashir. BBC Brasil

Vaticano espera 2,5 milhões de fiéis em beatificação de João Paulo 2º

O Vaticano calcula que cerca de 2,5 milhões de pessoas vão acompanhar a cerimônia de beatificação do papa João Paulo 2º, programada para ocorrer no próximo dia 1º de maio.

O número foi estimado hoje pelo cardeal José Saraiva Martins, prefeito emérito da Congregação para as Causas dos Santos.

Em declarações a jornalistas, o religioso comentou que o processo de beatificação de Karol Wojtyla "foi muito rigoroso" e "cumprimos, sempre, as normas canônicas em vigor".

Martins comentou que o papa Bento 16 "nunca disse nada" sobre o processo de beatificação, "limitando-se a dispensar a exigência de abrir o processo após cinco anos da morte".

A beatificação de João Paulo 2º ocorrerá seis anos após sua morte, em 2 de abril de 2005. Para iniciar o processo de beatificação, Bento 16 contrariou o Código de Direito Canônico, que prevê uma espera de ao menos cinco anos da morte.

Em 13 de maio de 2005, poucas semanas depois de ter sido eleito papa, Joseph Ratzinger anunciou sua decisão de consentir com a abertura imediata da causa canônica de Karol Wojtyla.

Em relação à escolha da data para a cerimônia de beatificação, Martins disse que João Paulo 2º "era um papa profundamente mariano, um grande devoto de Nossa Senhora de Fátima".

"Maio é o mês de Maria e das aparições de Fátima, que começaram dia 13. Wojtyla foi três vezes a Fátima e disse que o fato de não ter morrido no atentado contra ele é devido a Nossa Senhora de Fátima, que desviou o projétil", disse o cardeal.

Em 13 de maio de 1981, João Paulo 2º foi vítima de um atentado na Praça São Pedro, no Vaticano, quando o turco Ali Agca disparou contra o pontífice. Folha Online

Nelson Mandela recovering at home

JOHANNESBURG, South Africa, Jan. 31 (UPI) -- Doctors for former South African President Nelson Mandela say the 92-year-old had a restful night at home where he is recovering from a respiratory infection.

Mandela was admitted to Johannesburg's Milpark Hospital Wednesday for treatment and then was discharged Friday to recuperate in his home in Houghton, the South African government news service BuaNews reported Monday.

Mandela is responding to treatment, acting President Kgalema Motlanthe said, although doctors have expressed concern about the large number of visitors he is receiving.

"Once again we want to appeal to all that we accord the former president and his family the space to support him in privacy and dignity which he deserves," Motlanthe said. "Doctors must also be allowed to do their work without any undue pressure and in an atmosphere that allows them to carry on with their duties without any disturbance".

The country, its people and friends around the world would be kept informed of any developments in Mandela's health, Motlanthe said.

"We wish to take this opportunity to thank all our people and friends around the world for their continued support to Mr. Mandela and his family, and want to assure them that we are doing all we can to ensure that he recovers fully," he said. UPI

Wife stands by terrorism suspect in Canada

EDMONTON, Alberta, Jan. 31 (UPI) -- The wife of a Canadian held on U.S. terrorism charges is defending him as a loving husband and father.

In a statement released by Sayfildin Tahir Sharif's lawyer Sunday, Cara Rain said, "[He] is not a terrorist. He is a kind, generous man, a hard-working man, a loving and kind and affectionate father. I would not have shared my home, and shared my life, and shared my children's life with a terrorist".

The Royal Canadian Mounted Police and the FBI say Sharif is a terrorist conspirator who helped co-ordinate attacks on Americans in Iraq.

He is an Iraqi-born Canadian citizen and stucco worker who lived in Edmonton, Alberta, with Rain, a grocery store worker, and her four children from a previous relationship.

Rain said she converted to Islam, "a religion of peace" that has "helped me overcome issues in my own life to become a better person".

Rain was interviewed by the RCMP after Sharif's arrest.

"I answered all their questions, as did he. We have nothing to hide," she said.

Sharif is fighting extradition to the United States on charges of conspiring to murder U.S. nationals and providing material support for terrorists.

He is due back in court Wednesday. UPI

Giant storm to hit U.S. from Rockies east

DENVER, Jan. 31 (UPI) -- A dangerous, colossal storm will pound the United States from the Rockies to the East Coast with snow, sleet and freezing rain, forecasters said.

The storm -- starting in some areas Monday and cutting a huge swath by Wednesday, Groundhog Day -- will be felt from Colorado's Front Range to the Ohio Valley and through the Appalachian Mountains and Mid-Atlantic states Tuesday before unleashing its fury on the East Coast north into New England Wednesday, the National Weather Service said.

The storm in the Midwest will be marked by heavy snow, destructive ice and bitter cold, Weather.com reported.

Wind chills were expected to fall to 30 below zero Tuesday night into Wednesday morning in Omaha, Neb., AccuWeather.com reported.

Federal officials said Monday they have been monitoring the situation and urged people in the affected areas to prepare for the onslaught.

"A storm of this size and scope needs to be taken seriously," Craig Fugate, Federal Emergency Management Agency administrator, said, adding, "If you haven't already, take steps now to get your homes and families ready".

FEMA dispatched an incident management assistance team to Oklahoma to help with coordination should a response be necessary. Liaison officers also have been deployed to Kansas, Missouri and Indiana at the request of those states.

Water, generators, meals, cots and blankets have been positioned across the country, just in case, FEMA said.

Many Midwest cities were forecast to get more than a foot of snow, possibly 2 feet in some areas.

Chicago was forecast to get more than 18 inches by early Wednesday. 

Minneapolis will likely get 3 to 6 inches, but other parts of southeastern Minnesota could get 9 inches, forecasters said.

Farther south and east Tuesday, a major ice storm will likely bring down trees and power lines from St. Louis to Indianapolis to Columbus, Ohio, AccuWeather.com reported.

The raging blizzard could shut down Kansas City International Airport by Tuesday afternoon and Chicago O'Hare International Airport by Tuesday night.

Temperatures will likely be warm enough from Washington to New York City to bring mainly rain Wednesday.

The heaviest Northeast snow is expected to be away from the Atlantic coast, from interior Pennsylvania into upstate New York and New England, Weather.com said, calling the storm "potentially historic".

Accompanying the blizzard will be a severe thunderstorm threat, with hail and damaging winds, including possible tornadoes, across the South including the Gulf States, AccuWeather.com and Weather.com said. UPI

Sled operator accused of killing 100 dogs

VANCOUVER, British Columbia, Jan. 31 (UPI) -- A dogsled tour company in British Columbia is accused of killing 100 dogs when its business faded after the Winter Olympics in Vancouver.

Vancouver radio station CKNW said documents from WorkSafeBC, the provincial occupational health agency, show an employee of Outdoor Adventures Whistler got compensation for post-traumatic stress disorder after allegedly being made to kill the dogs.

The radio station reported the dogs were shot or had their throats cut, and were buried in a mass grave.

"It wasn't always a clean, one-shot kill," said Corey Steinberg, attorney for the employee. "Inevitably, he ended up seeing and having to put the end to some horrific scenes".

CKNW says Outdoor Adventures Whistler has not contested the injury claim but will not comment.

Marcy Moriarty, head of cruelty investigations at the British Columbia Society for the Prevention of Cruelty to Animals, told the station her organization is investigating. UPI

Ex-Pa. senator hires Iowa campaign staff

DES MOINES, Iowa, Jan. 31 (UPI) -- Former U.S. Sen. Rick Santorum of Pennsylvania is showing signs of entering the 2012 presidential race by hiring consultants in the key early state of Iowa.

Santorum announced Friday Nick Ryan and Jill Latham, two well-connected Republicans with the Concordia Group in Des Moines, will be advising his political action committee, the Pittsburgh Post-Gazette reported.

His media strategist, John Brabender, also said a well-known national operative is likely to be hired this week.

Ryan and Latham both have ties to former Massachusetts Gov. Mitt Romney, considered a strong Republican contender for the presidential nomination next year.

Steffen Schmidt, a political science professor at Iowa State University, said hiring them shows Santorum is serious about contesting Iowa, and that Romney may skip the caucuses there and bet everything on the New Hampshire primary.

"The secret in Iowa is if you think you want to play, you've got to get in there early, especially when the field is going to be huge," Schmidt said.

Ryan also is a founder of the American Future Fund, an influential conservative group. UPI

Karmapa devotees demonstrate across India


Thousands of devotees and monks demonstrated today across India to show their support for Tibetan Buddhism's third most important spiritual leader, who has been repeatedly questioned by Indian police about cash worth around £500,000 found in the Buddhist monastery in northern India where he lives.
Lines of Tibetan exiles carried candles and pictures of the Karmapa, whose full name is Ogyen Trinley Dorje, in a series of vigils. The Karmapa, seen as a possible successor to the Dalai Lama, has denied allegations of wrongdoing. An aide has been arrested.
This weekend large sums of Indian and foreign currency were recovered from the monastery near the Himalayan foothill town of Dharamsala where the lama lives. The cash included large amounts of Chinese yuan, sparking accusations, vociferously denied, that the 25-year-old lama [spiritual leader] is a Chinese spy.
The office of the Karmapa, who fled from Tibet to India 11 years ago, said in a statement: "Everyone who knows the history of our lineage, our struggle and his holiness's life is very surprised by the allegations. We categorically deny having any link whatsoever with any arm of the Chinese government".
Supporters were swift to defend the young monk. "The way the Karmapa has conducted himself in exile has been quite exemplary," said Youdon Aukatsang, a Tibetan living in Delhi. "For the police to jump to the conclusion that he is a Chinese spy because of the money found at the monastery is ridiculous".
One UK-based campaigner said: "The Karmapa has always been under protection and accompanied everywhere, even up and downstairs from his private quarters to the temple, by Indian security".
The position of the Tibetan community in India, estimated to be 200,000-strong, is a delicate one as tensions between India and China rise. The Karmapa himself is a controversial figure, with some within Tibetan Buddhism denying his claim to be the reincarnation of the 16th Karmapa.
Ever since his sudden arrival in India as a teenager in January 2000, Delhi has been suspicious. A former official maintained that this was because intelligence services doubted he could have left Tibet without the knowledge of Chinese authorities.
In remarks quoted in Indian media, a Chinese Communist party official told reporters: "The speculation by India's media regarding the matter of the Karmapa as a Chinese agent or spy shows that India is keeping its mistrustful attitude toward China".
The Dalai Lama, the spiritual head of Tibetan Buddhism said: "The Karmapa has many devotees, including from China," he told reporters in Bangalore. "Some money would have naturally been received by him [from devotees] … There has been some negligence [on the part of monastery officials]. It is better now to have a thorough investigation".
Experts say the Karmapa is being groomed as a possible replacement for the Dalai Lama, who has publicly suggested that he might retire from political life within six months.
The Gyuto monastery was raided after police stumbled upon around £14,000 in a car in which two Indians were travelling. The car's occupants claimed they had received the cash from the monastery as part-payment for the purchase of land, for the construction of a monastery.
The Karmapa's legal counsel, Naresh Mathur, told journalists that the money found in the monastery was composed of donations from devotees who came from all over the world, including Tibet. The Guardian

Salvation Army called to account by charity watchdog


The UK's charity fundraising regulator has asked the Salvation Army to explain revelations that it allowed a businessman to earn a multimillion-pound personal fortune from selling secondhand clothes donated to the cause.
The Fundraising Standards Board has asked the Christian charity to investigate complaints that it may have misled its donors about the use of profits from the sale of the 2,500 of tonnes of clothing donated each month
A director of the charity's trading arm personally earned more than £5m from sale of the clothes over the last five years, affording him a lifestyle that included buying a racehorse and a £1m mansion.
The wording on the side of the charity's secondhand clothes banks dotted across supermarket car parks nationwide said profits from their sale are used "to help the Salvation Army's work with people in need both at home and abroad".
The Salvation Army is a member of the standards board, the charity sector's self-regulatory body which sets out to safeguard public trust and confidence in fundraising tactics used by good causes. The charity could be brought before the independent board to answer questions and, if left not satisfied by the answers, could be removed from the register.
The Salvation Army earned £16.3m over the past three years from its network of 4,500 clothes banks across Britain. It has launched a programme to change the wording on the banks to indicate a portion of the profits from the sale of the clothes will go to Kettering Textiles, a private firm contracted to manage the scheme and sell the clothes, mostly to customers in eastern Europe. It estimates the new wording will be applied within six months.
The board is likely to look at what is known as the Salvation Army's "fundraising ask" in the past three years when Kettering Textiles directors earned more than £10m from the scheme's profits. Kettering Textiles' sole owner, Northamptonshire textile trader Nigel Hanger, earned more than £1.6m from the fundraising operation in 2010.
He also sits on the main board of the Salvation Army Trading Company, Kettering Textiles' client in administering the scheme.
The standards board's chief executive, Alistair McLean, said the first stage is for the complaint to be passed to the Salvation Army for internal investigation.
"The sector sets incredibly high standards in self-regulation and takes this issue extremely seriously as public trust and confidence is the cornerstone of ongoing giving," said McLean.
"The [Fundraising Standards Board] responds to specific concerns from the public about fundraising activities and plays a crucial mediatory role in both protecting public interests and in ensuring charity members are committed to fundraising best practice by being honest, open, clear and accountable in their fundraising activities".
The Salvation Army said: "We have heard nothing from them yet, but we will be in touch with the Fundraising Standards Board". The Guardian

War of words over Nelson Mandela's hospital stay


The Nelson Mandela Foundation has angrily hit back at criticism that it lied to the public about the former South African president's health.
The foundation was under siege last week when it emerged that 92-year-old Mandela had been taken to hospital. Its failure to issue anything beyond a two-sentence statement, combined with a long silence from other official bodies, was widely described as a public relations disaster that allowed rumours to fester.
The government has now stepped in to deal with the huge interest in the anti-apartheid hero's recovery. The deputy president, Kgalema Motlanthe, said today that Mandela "had a restful and peaceful night" and "is said to be responding to medication and treatment" at his home in Johannesburg.
Weekend reports suggested that the foundation has been marginalised after losing an unseemly "turf war" with the government and the Mandela family. The increasingly ugly fallout has raised fears over how Mandela's eventual death will be handled.
Under the headline "Mandela – the making of an unnecessary crisis", Makhudu Sefara, editor of South Africa's Sunday Independent, wrote yesterday that the foundation's spokesman, Sello Hatang, apparently sought to "mislead the nation" by describing the medical tests carried out on Mandela as routine.
"When you create suspicion in so amateurish a manner, that is when you make journalists eager to uncover the truth … they'll want to understand why you find it necessary to lie," Sefara said.
The foundation today took the unusual step of issuing a detailed rebuttal condemning a "scurrilous [and] unwarranted personal attack" on Hatang.
Achmat Dangor, its chief executive, said the term "routine tests" was agreed with Mandela's daughter, Zindzi, who was inundated with media queries and urging the foundation to issue a statement. Dangor claimed Mandela himself described it as a "routine check-up" to the former president, Thabo Mbeki, when on his way to hospital. Surgeon-general Vejay Ramlakan also used the term at a press briefing last Friday, he added.
Dangor said: "For Mr Sefara to accuse Sello Hatang of personally misleading the nation and of being a liar is a gross injustice, and indeed an abuse of Sefara's privileged position. This was not an interview, but an op-ed that provided neither Sello nor the foundation an opportunity to respond timeously."Makhudu Sefara owes Sello Hatang an apology. Sefara should also sit quietly for a moment and reflect on whether his shooting from the hip approach contributes in any way to the lessons we can learn from the turmoil of the last few days".
Hatang failed to answer calls from the Guardian last week. He responded to a mobile text message regarding the possibility of a press conference, but follow-up texts, enquiring directly about Mandela's health, received no answer.
Sefara was far from alone in condemning the near media blackout that surrounded Mandela's hospitalisation. Political commentator Justice Malala wrote in South Africa's The Times: "First there was the two-line statement by the Nelson Mandela Foundation, saying the man had gone into hospital for routine tests. Communications lesson No1: don't lie. The truth will come back and bite you". The Guardian