DONATIONS luisinhofreitas@gmail.com

Tuesday, May 31, 2011

Vale quer intensificar investimentos no setor de fertilizantes

A Vale pretende intensificar os investimentos no setor de fertilizantes. O diretor de relações com investidores da companhia, Guilherme Cavalcante, disse nesta terça-feira que a demanda continuará em alta com a expansão econômica do país.

"É um setor no qual estamos apostando e, no longo prazo, vamos continuar investindo", afirmou, durante o seminário Rio Investors Day.

Cavalcante avaliou que realizar uma oferta pública de ações não é um "fator crítico" para a Vale Fertilizantes captar recursos. Segundo ele, a possibilidade do IPO (oferta pública inicial, na sigla em inglês) ainda está sendo avaliada, e não há qualquer decisão tomada.

Em debate para uma plateia formada por empresários e investidores, o executivo procurou sinalizar que a Vale terá uma atuação independente e sem interferência governamental na gestão do novo presidente, Murilo Ferreira.

Ele admitiu que a mudança na presidência da mineradora causou desconfiança entre investidores e foi decisiva na recente queda no valor das ações. Citou ainda a revisão do código de mineração como fator de influência.

"O preço da ação está bastante depreciado. Mas a nomeação do novo presidente mostrou que não houve interferência governamental na Vale. O Murilo Ferreira é um executivo competente e com experiência na empresa. Ele conhece a Vale", observou.

FOLHA

França: remeter a Facebook ou Twitter é 'publicidade ilegal'

O CSA (Conselho Superior Audiovisual), órgão regulador francês das telecomunicações, considerou nesta terça-feira que os veículos incorrem em "publicidade ilegal" quando divulgam aos seus telespectadores e ouvintes as suas páginas no Facebook ou Twitter.

O órgão se posicionou após ser consultado por um canal de televisão francês sobre a regulamentação relacionada à publicidade quando "se remete às páginas dedicadas às suas informações nas redes sociais".

O CSA considerou que "indicar a seus telespectadores e ouvintes as páginas dos veículos (de rádio e TV) nas redes sociais sem citá-las possui um caráter informativo, mas dizer quais são as redes sociais em questão assume um caráter publicitário".

O ato constitui violação de um decreto de março de 1992 que "proíbe a publicidade ilegal", afirma o órgão em sua decisão.

FRANCE PRESS/FOLHA

Gerdau anuncia investimento de R$ 718 milhões no Estado de São Paulo

A Gerdau anunciou nesta terça-feira a expansão de sua usina em Pindamonhaga e a modernização na usina de Araçariguama, ambas no Estado de São Paulo. Ao todo, a empresa pretende investir R$ 718 milhões nas unidades até 2013.

Na usina de Pindamonhangaba, o investimento será destinado à expansão da usina de aços especiais e à construção de uma nova fábrica de produtos prontos para o uso na construção civil.

Dos R$ 718 milhões, R$ 645 milhões serão investidos em Pindamonhaga, sendo R$ 327 milhões para a expansão da usina e R$ 318 milhões para a nova fábrica de materiais para construção civil.

A empresa afirma que a maior parte dos recursos necessários para as obras é próprio. Uma outra parte será financiada. O diretor-presidente do grupo Gerdau, André Gerdau Johannpeter, afirma que a empresa está estudando linhas de financiamento via BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Johannpeter disse que, com a expansão da indústria automotiva e da construção civil no Brasil, as siderúrgicas da empresa já estão operando praticamente na capacidade máxima.

Segundo a empresa, os investimentos em Pindamonhangaba vão permitir aumentar a produção local de laminados de atuais 700 mil para 1,2 milhão de toneladas a partir de 2012. Já a nova fábrica de produtos prontos para o uso na construção civil -- como telas para concreto, malhas, telas para colunas -- está prevista para entrar em operação em 2013.

De acordo com a Gerdau, os investimentos anunciados hoje vão gerar cerca 2.600 empregos --330 diretos, 1.480 indiretos e 780 temporários no pico das obras de expansão.

Em uma cerimônia realizada nesta terça-feira, na usina de Pindamonhangaba, Johannpeter disse que preços do aço longo no Brasil e no exterior devem permanecer estáveis nos próximos meses, sem previsão de alteração. O diretor-presidente também disse que a economia americana está se recuperando. A empresa possui cinco usinas nos EUA.

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que esteve na cerimônia, comentou eventuais incentivos para a instalação da empresa. Recentemente, o governo de São Paulo reduziu o ICMS das barras de aço de 18% para 12%.

"A redução foi feita para um setor. São Paulo nunca reduz só para uma empresa", disse o governador.

FOLHA

Banco do Brasil desbanca Bradesco e vence leilão para Banco Postal

O Banco do Brasil acaba de vencer leilão para ser parceiro dos Correios no Banco Postal, com um lance de R$ 2,3 bilhões. O banco terá direito de atuar, inicialmente, em 6.195 agências postais a partir de 2 de janeiro de 2012.

Há dez anos, desde sua criação, o Banco Postal é comandado pelo Bradesco. Pela primeira vez outra instituição bancária cuidará desse negócio, que em 2010 apresentou um lucro de R$ 820 milhões.

O leilão aconteceu em 12 rodadas, com Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Caixa Econômica no páreo. Em seu último lance, o segundo colocado Bradesco ofereceu R$ 2,25 bilhões.

O Banco Postal oferece serviços bancários básicos, como abertura de conta corrente, saque e pagamento de benefício do INSS.

O contrato entre Correios e Banco do Brasil é de cinco anos, e deverá ser assinado dentro de 15 dias. Dez dias após a assinatura, o banco deverá pagar os R$ 2,3 bilhões, que é o valor de acesso ao negócio.

Até 2 de janeiro, o banco deverá pagar também aos Correios R$ 500 milhões, referentes ao valor estimado das agências do Banco Postal. Ao longo dos cinco anos de contrato, os Correios deverão receber ainda um mínimo de R$ 350 milhões pela participação nas tarifas cobradas.

Puderam participar do leilão instituições financeiras ou instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central que tenham ativo igual ou maior a R$ 21,6 bilhões e patrimônio líquido igual ou maior a R$ 2,160 bilhões.

O edital publicado pelo governo determina uma tabela de tarifas, entre elas R$ 28,08 para abertura de conta-corrente e poupança, R$ 1,40 para saque em conta-corrente e poupança, R$ 0,97 para consulta de saldo e R$ 1,44 para pagamento de benefícios do INSS.

FOLHA

Economia do setor público alcança até abril 49% da meta de 2011

A economia da União, Estados e municípios para pagar a dívida pública (superavit primário) chegou a R$ 57,3 bilhões nos quatro primeiros meses do ano, segundo dados do Banco Central. Esse valor representa 49% da meta de R$ 117,9 bilhões fixada para o ano.

No mês passado, o superavit primário foi de R$ 18,1 bilhões, acima do registrado em março, mas abaixo do verificado em abril do ano passado (R$ 20,3 bilhões).

A economia feita no ano representa 4,54% do PIB. No acumulado em 12 meses, o resultado recuou de R$ 121,9 bilhões (3,23% do PIB) até março para R$ 119,6 bilhões (3,14% do PIB) até abril.

Apesar do aumento no superavit acumulado ano, que cresceu 45,5% em relação ao primeiro quadrimestre de 2010, o aumento dos juros pagos pelo governo tem limitado a queda do endividamento.

A dívida líquida do setor público recuou de 40,2% do PIB no final de 2010 para 39,8% do PIB em abril.

Os juros chegaram a R$ 78,6 bilhões (6,23% do PIB) no ano, ante R$ 60 bilhões (5,33% do PIB) no mesmo período de 2010.

Segundo o BC, o aumento dos juros foi influenciado pela aceleração da inflação e pelo aumento da taxa básica de juros (Selic), indicadores que incidem sobre parcela expressiva dos títulos federais, comparativamente ao mesmo período de 2010.

Em 12 meses, os juros nominais alcançaram R$ 213,9 bilhões (5,61% do PIB).

FOLHA

Banqueiro egípcio é acusado de abuso sexual a faxineira de hotel em Nova York

A polícia americana prendeu na segunda-feira um empresário e ex-presidente de um banco egípcio acusado de abusar sexualmente de uma faxineira de um luxuoso hotel de Nova York.

Mahmud Abdel Salam Omar, 74, ex-diretor do Banco de Alexandria e agora presidente da El-Mex Salines Company, a maior produtora de sal no Egito e Oriente Médio, foi preso logo após a suposta vítima ter feito a denúncia.

A faxineira, uma mulher negra de 44 anos, disse ter sido chamada para levar lençóis ao quarto do ex-banqueiro no Hotel Pierre, em Manhattan, no domingo (29). No local, Omar teria agarrado a faxineira e a tocado de maneira inapropriada, impedindo que deixasse o quarto.

Omar foi preso acusado de assédio e abuso sexual, entre outros crimes. Ele passou a noite em uma delegacia e foi transferido na manhã desta terça-feira a uma detenção perto da corte de Manhattan.

A polícia de Nova York não deu mais detalhes sobre o caso, mas o porta-voz Paul Browne disse que os detetives acharam a denúncia credível.

Omar já foi presidente do Banco Egípcio-Americano e da Federação dos Bancos Egípcios, segundo biografia publicada no site da El-Mex Salines Company.

Em comunicado, o hotel afirmou que vai colaborar completamente com a investigação e que a segurança de seus hóspedes e de sua equipe é prioridade.

A denúncia aparece semanas após o ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, protagonizar caso semelhante, que o levou à renúncia. Strauss-Kahn é acusado de abusar sexualmente da camareira do Hotel Sofitel, em Manhattan, no último dia 18. Ele aguarda julgamento em prisão domiciliar.

FOLHA

Merkel negocia acordos comerciais e de segurança com a Índia

A chanceler alemã, Angela Merkel, negociou nesta terça-feira vias de cooperação comercial e de segurança com a Índia, em uma viagem relâmpago que se complicou depois que o Irã impediu que o avião da governante sobrevoasse seu espaço aéreo.

A Alemanha é o maior parceiro comercial europeu da Índia e um dos principais investidores no país asiático. Além disso, ambos defendem --junto ao Brasil e ao Japão-- uma reforma do Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas).

"Passamos muito tempo provando que o sistema global deve ser atualizado para se adequar à realidade contemporânea", afirmou em entrevista coletiva conjunta o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh.

Os dois chefes de Governo dedicaram também um espaço em suas conversas à luta contra o terrorismo, à recuperação econômica da zona do euro, à instabilidade no norte da África e à situação no Paquistão e no Afeganistão.

A situação no Afeganistão foi tratada com especial interesse depois do atentado que resultou na morte de dois soldados alemães e feriu o chefe de suas tropas no país, o general Markus Kneip.

Merkel não se referiu a esse atentado nem às informações da revista alemã 'Der Spiegel' sobre um suposto diálogo em território alemão entre talebans e a CIA (agência central de inteligência americana), mas, assim como a Índia, ressaltou sua aposta em uma reconciliação negociada.

"Compartilhamos objetivos no Afeganistão. O país deve desenvolver uma arquitetura de segurança. Nós acreditamos na visão do governo afegão e em seu caminho de reconciliação", afirmou a chanceler em seu discurso.

Os dois governantes assinaram quatro memorandos de entendimento --em matéria de saúde, física nuclear, formação e ciência e tecnologia--, mas, segundo especialistas indianos, são os assuntos de segurança, energia e defesa que dominam a agenda bilateral.

A Índia está planejando a compra de 126 caças de combate por um valor estimado de US$ 10 bilhões, que podem ser adquiridos do consórcio EADS --liderado pela Alemanha-- ou da companhia francesa Dassault.

"Nós achamos que temos o melhor produto. Não vamos influir no projeto, queremos que seja suave e transparente", disse Merkel em referência ao Eurofighter, o avião da EADS.

As trocas comerciais bilaterais entre a Índia e a Alemanha alcançaram US$ 21,615 bilhões no ano passado.

A Índia está tentando impulsionar a energia nuclear justo quando a Alemanha optou por renunciar a esse tipo de energia, mas Merkel aproveitou a ocasião para defender o impulso das fontes renováveis no país asiático.

"Construir uma base energética ampla e extensa é uma política na qual podemos nos ajudar, mediante as renováveis", disse Merkel pouco depois de Singh afirmar que para a Índia ainda é "inevitável" a dependência do carvão durante muitos anos.

Esta é a segunda vez que Merkel viaja à Índia como chanceler. Ela foi acompanhada dos ministros de Relações Exteriores, Defesa, Interior, Transportes, Educação e Economia, assim como de parlamentares, funcionários e empresários.

Merkel aterrissou na capital indiana na manhã desta terça-feira e tinha previsto reunir-se com Singh e com a presidente da Índia, Pratibha Patil, antes de receber o prêmio Jawaharlal Nehru ao entendimento, segundo a agenda oficial.

Sua viagem contou com um imprevisto, depois que as autoridades iranianas não permitiram que o avião da delegação sobrevoasse seu espaço aéreo, o que forçou a aeronave a sobrevoar a Turquia até receber a autorização do Irã.

A Alemanha garantiu ter solicitado todas as permissões pertinentes para realizar o voo com normalidade.

"É uma falta de respeito com a Alemanha que não estamos dispostos a tolerar", disse o ministro das Relações Exteriores alemão, Guido Westerwelle.

Merkel deixará a Índia na manhã de quarta-feira, quando partirá para Cingapura.

EFE/FOLHA

Cristina Kirchner inicia viagem de dois dias à Itália

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, inicia nesta terça-feira uma visita de dois dias à Itália, durante a qual será recebida pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi e pelo presidente Giorgio Napolitano.

Esta será a primeira vez em nove anos que um chefe de Estado da Argentina viaja a Roma para se reunir com autoridades italianas. O último encontro do tipo ocorreu em 2002, durante a gestão de Eduardo Duhalde.

A chegada de Cristina Kirchner, prevista para esta terça, é um marco no recente processo de relançamento das relações bilaterais entre Buenos Aires e Roma, que passou por rusgas devido a pagamentos de dívidas a investidores italianos e a barreiras comerciais impostas pela Argentina.

A viagem também ocorre em um momento delicado para Berlusconi, cujo partido, o Povo da Liberdade (PDL), perdeu as eleições municipais em locais estratégicos, como Milão e Nápoles.

AGENDA

Está previsto para Cristina Kirchner ser recebida na quarta-feira pelo primeiro-ministro e pelo presidente italiano. O encontro com Berlusconi, com quem ela almoçará, deve ocorrer às 13h30 locais (8h30 no horário de Brasília).

A mandatária argentina ainda deve se reunir com investidores italianos e participar de um workshop que abrange vários setores, como energia renovável, alimentação, agricultura, turismo, siderurgia e indústria automotriz.

A presidente também visitará a cidade de Veneza, ao norte do país, onde vai inaugurar uma mostra de arte argentina na Bienal local.

Em abril, o ministro italiano das Relações Exteriores, Franco Frattini, esteve em Buenos Aires para a assinatura de 12 acordos bilaterais, principalmente nas áreas de energia nuclear, tecnologia e ciência.

Nos próximos dias, Roma espera receber outros chefes de Estado e de governo, em ocasião dos festejos pelos 150 anos da Unificação da Itália, celebrados na próxima quinta-feira, dia 2.

MÉXICO

Na segunda-feira (30), Cristina Kirchner esteve no México, onde se reuniu com o presidente Felipe Calderón, que pediu apoio de Buenos Aires para a candidatura do mexicano Agustín Carstens à direção do FMI (Fundo Monetário Internacional).

Cristina demonstrou apoio às políticas de Calderón contra o crime organizado e ressaltou a necessidade de aumentar a cooperação técnica nas áreas de inteligência e informação financeira.

ANSA/FOLHA

Sobe para 16 nº de mortos por bactéria E. coli na Alemanha e Suécia

A Alemanha informou nesta terça-feira a morte de uma mulher de 87 anos vítima de uma variedade da bactéria Escherichia coli (E. coli). O surto da bactéria matou outras 14 pessoas no país e uma na Suécia.

Um dos maiores surtos de bactéria E.coli da Europa, a infecção já deixou mais de 1.200 contaminados na Alemanha, assim como centenas de pessoas na Espanha, Suécia, Reino Unido, Dinamarca, França e Holanda --todas que estiveram na Alemanha nos últimos dias.

Cientistas suspeitam que pepinos, tomates e alface possam ter espalhado a bactéria na Alemanha, mas até agora apenas amostras de pepinos procedentes da Espanha e comercializados em Hamburgo, na Alemanha, tiveram a contaminação constatada. Não se sabe, contudo, se a contaminação ocorreu no país, durante o transporte ou na Alemanha.

O governo alemão pediu que a população não coma pepinos até que os cientistas consigam identificar a origem exata. A maioria das mortes ocorreu no norte da Alemanha.

"A situação é tensa, mas podemos lidar com ela", disse o ministro de Saúde Daniel Bahr, em uma entrevista a jornalistas na noite de segunda-feira. Ele disse esperar que o número de casos continue a subir.

O governo alemão identificou a doença como a Síndrome Hemolítico-Urêmica (SHU), uma complicação séria de um tipo de E.coli que produz a toxina Shiga. Esta toxina específica destrói hemácias (células vermelhas do sangue) e provoca insuficiência renal, a SHU.

A E. coli se propaga principalmente pela comida, pela água contaminada ou pelo contado com animais doentes. Os sintomas típicos da infecção pela bactéria são febre moderada e vômito. Em alguns casos, há diarreia com sangue nas fezes.
A maioria dos pacientes se recupera em cerca de sete dias, mas uma parcela deles pode desenvolver a SHU. Nos casos mais severos, a síndrome provoca convulsões e problemas graves no sistema nervoso.

O Centro Europeu para a Prevenção e Controle de Doenças (ECDC, na sigla em inglês), com sede na Suécia, disse que o surto de SHU é "um dos maiores que já foram registrados no mundo e o maior já registrado na Alemanha".

FOLHA

Irã enforcará 300 traficantes de drogas, diz jornal

TEERÃ - Trezentos traficantes de drogas estão no corredor da morte no Irã, informou o Judiciário iraniano, refletindo a linha-dura do país com os narcóticos e aumentando as preocupações sobre o uso amplo no país da pena capital. Todos os condenados devem ser executados por enforcamento.

- Para 300 condenados em crimes relacionados às drogas, incluindo aqueles pegos com a posse de pelo menos 30 gramas de heroína, foram emitidos vereditos de execução - disse o procurador-geral do Irã, Abbas Jafari Dolatabadi, segundo a edição desta segunda-feira do jornal Sharq.

Segundo a Anistia Internacional, o Irã fica atrás apenas da China no número de execuções, com pelo menos 252 pessoas executados ano passado.

Além do tráfico de drogas, também são punidos com a pena de morte assassinatos, adultério, estupro, roubo a mão armada e apostasia (negação da religião) de acordo com a Sharia, lei muçulmana, praticada no Irã desde a revolução islâmica de 1979.

O Irã minimiza as críticas contra seu sistema judiciário, afirmando estar implementando a lei islâmica e acusando o Ocidente de usar dois pesos e duas medidas.

O tráfico e o vício em drogas são um grande problema no Irã, país que tem uma longa e porosa fronteira com o Afeganistão, a maior fonte mundial de heroína. O Irã enforcou seis condenados por tráfico de drogas na quinta-feira, quando 11 condenados foram executados no total, sendo cinco deles em público.


O GLOBO

Ações da Telmex tombam após rejeição de concessão

As ações da empresa de telecomunicações do bilionário Carlos Slim caminhavam para sua pior perda diária em mais de um ano nesta segunda-feira após o governo do México ter rejeitado uma oferta da empresa para prestar serviços de televisão no fim da sexta-feira.

As ações da Telmex, maior operadora de telefonia fixa e provedora de Internet do México, caíram 4,97%. As ações estavam a caminho de reportar sua pior queda percentual em uma sessão desde 4 de fevereiro de 2010.

O Ministério de Comunicações e Transportes do México definiu na sexta-feira que a Telmex ainda não havia atendido aos requisitos regulatórios para obter uma concessão de serviços de televisão.

A Telmex vai recorrer da decisão, afirmou um porta-voz da companhia à Reuters.

Slim tenta obter a permissão para oferecer serviços de televisão há anos. Mas autoridades exigem que, primeiramente, ele tome mais medidas para reduzir seu apego excessivo ao mercado de telecomunicações, diminuindo cobranças feitas para conectar chamadas de operadoras rivais, por exemplo.

Alguns analistas afirmam que as ações da Telmex não serão muito afetadas no futuro.

"As pessoas acham que, no fim das contas, darão a ele [uma licença para atuar no ramo de televisão]", disse Carlos Alonso, diretor de negociação de ações na corretora Interacciones, na Cidade do México.

Recentemente, Slim tem enfrentado uma série de contratempos, incluindo uma multa de US$ 1 bilhão contra sua maior empresa, a América Móvil, por supostamente abusar de sua influência no mercado de telefonia móvel. A empresa também está recorrendo contra essa decisão.

As ações da Telmex caíam 5,7% às 16h20 horas.

REUTERS/FOLHA

Asus anuncia gadget híbrido de tablet e smartphone

A Asus anunciou durante as conferências que antecedem a feira de computadores Computex um novo gadget híbrido. Trata-se de um smartphone, que também pode funcionar dentro de um tablet, o Padfone.

O smartphone traz uma tela de 4,3 polegadas e o tablet tem 10 polegadas de tamanho. O telefone é encaixado na parte traseira do computador para que ele funcione como um tablet, segundo revelou o TechRadar.

Em seu anúncio oficial, a Asus diz que a "convergência do aparelho combina um smartphone e um tablet em um gadget, que permite que os consumidores escolham o tamanho da tela que melhor combina com suas atividade".

FOLHA

Escritor defende que internet deixa usuários mais distraídos

Como outras milhões de pessoas, o escritor norte-americano Nicholas Carr achou a sedução da internet difícil de resistir --até que ele notou que estava ficando cada vez mais difícil de se concentrar.

Ele demonstrou suas preocupações na dissertação de título "O Google está nos tornando estúpidos?". E, no seu último livro "The Shallows", Carr explora em profundidade a preocupação sobre o que a internet está fazendo com o nosso cérebro.

"A sedução da tecnologia é difícil de resistir", diz o escritor. Mas ele acha que está na hora de começar, ao menos, a tentar.

Em um discurso dado na semana passa no Fórum Digital de Seul e em uma entrevista com a France Presse, Carr falou novamente sobre suas preocupações sobre como as tecnologias têm afetado o jeito com que as pessoas pensam e sentem.

Cada tecnologia que surgiu ao longo da história --como o mapa ou o relógio-- mudou o jeito como as pessoas pensam, mas Carr vê um perigo específico na internet.

Enquanto a internet traz enormes benefícios ao trazer grandes quantidades de informação em alta velocidade, ela também distrai e encoraja mudanças rápidas de foco, segundo Carr.

"Nós recebemos tanta informação, tão rápido, que estamos em um estado congnitivo constante de sobrecarga", diz o escritor.

FRANCE PRESS/FOLHA

Lobão critica João Gilberto e Chico Buarque em evento literário

Teve clima de show de rock, com direito a aplausos e vaias, a mesa com o cantor Lobão na tarde de domingo no Festival da Mantiqueira, em São Francisco Xavier (138 km de São Paulo).

Fazendo jus ao evento literário, o tema do debate seria o livro "50 Anos a Mil", autobiografia que o cantor lançou no ano passado. Foi o mundo da música que, no entanto, rendeu os momentos mais apimentados da palestra.

Ao comentar a música "Me Chama", seu principal sucesso, Lobão disse não ter gostado da versão gravada por João Gilberto.

"João Gilberto tirou o ritmo de tragédia maníaca de 'Me Chama'. E ele ainda não cantou a parte: 'Nem sempre se vê mágica no absurdo'. Disse que não entendeu essa parte. Se ele tivesse me ligado, eu teria explicado".

Perguntado se achava João Gilberto "chato", Lobão respondeu que ele é "um amor de pessoa. O problema é que ele virou um ser sagrado. Nós temos que destronar tudo o que é sagrado".

Depois, ironizou canções de Chico Buarque (como "O Que Será") e jogou farpas na música brasileira em geral. "A dita MPB é de uma mediocridade galopante".

Algumas vaias, ainda que tímidas, surgiram quando Lobão definiu a esquerda como "coisa de gente rancorosa e invejosa".

Em outro momento, o cantor reclamou que há um "excesso de vitimização na cultura brasileira". "Essa tendência esquerdista vem da época da ditadura. Hoje, dão indenização para quem sequestrou embaixadores e crucificam os torturadores que arrancaram umas unhazinhas", completou.

FOLHA


Citroën anuncia recall do modelo C4 VTR no Brasil

A Peugeot Citroën do Brasil anunciou nesta terça-feira o recall de 222 unidades do modelo C4 VTR, fabricadas entre 2005 e 2007, devido a um problema no chicote da tampa traseira.

Os veículos envolvidos na convocação, produzidos na França, têm chassis no intervalo entre 5Y503006 a 7Y501503. O agendamento em uma das unidades da rede de concessionárias autorizadas da marca tem o objetivo de checar se há necessidade de substituição do item.

Ao todo, 4.193 unidades do C4 VTR foram vendidas no país entre os anos de 2006 e 2009, de acordo com a assessoria de imprensa.

O procedimento, alerta a montadora em comunicado, envolve segurança, pois uma não conformidade no conduíte do chicote da tampa traseira pode não garantir a durabilidade ideal do item.

Após várias manipulações da tampa, uma degradação dos fios elétricos poderá aparecer e provocar um não funcionamento dos equipamentos elétricos da tampa traseira. Em casos extremos, poderá ocorrer curto-circuito e derretimento do chicote, com risco de incêndio.

Mais informações pelo telefone 0800-011-8088 ou pelo site (www.citroen.com.br).

RENAVAM

Desde 17 de março, é obrigatória a inclusão no Renavam de informações sobre o comparecimento dos veículos a um recall. O objetivo da medida é elevar a quantidade de proprietários que atendem ao chamado, fazendo o reparo identificado pela montadora.

Cerca de 40% dos veículos não comparecem ao recall, segundo estimativa do DPDC. Se houver falhas na comunicação entre a montadora e o Denatran sobre a notificação de comparecimento ao recall, o proprietário do carro pode levar ao Detran o documento recebido na concessionária, após o reparo, e pedir a retificação no sistema.

Após um ano, a pendência vai constar também no documento do carro, mas uma segunda via pode ser exigida com o mesmo procedimento.

No ano passado, o número de veículos convocados ultrapassou a marca de 1 milhão, distribuído em 51 campanhas.

FOLHA

Tuco sai da casa dos pais em "A Grande Família"

O personagem Tuco, vivido por Lúcio Mauro Filho, vai sair da casa dos pais em "A Grande Família", da Globo.

Na trama, Lineu (Marco Nanini) não vai aceitar o fato de o filho ter abandonado a faculdade de veterinária.

Os dois vão brigar e, mesmo com as tentativas de Nenê (Marieta Severo) de apaziguar os ânimos, o filho decide sair de casa.

Como não tem para onde ir, Tuco vai pedir abrigo para Gina (Natália Lage) e para Bebel (Guta Stresser).

As cenas vão ao ar no episódio desta quinta-feira (2).

FOLHA

Sem fazer shows desde 2002, Pulp volta aos palcos na Espanha

Em novembro passado, quando o Pulp anunciou que voltaria a fazer shows em 2011, houve certo receio.

Desde 2002 sem subir aos palcos e, mais importante, há 15 anos sem se apresentar com a formação original, a banda teve que reaprender as próprias músicas.

O vocalista Jarvis Cocker, 47, chegou a pedir aos fãs que gravassem vídeos interpretando os hits da banda.

Então, ele, os guitarristas Mark Webber e Russell Senior, o baterista Nick Banks, o baixista Steve MacKey e a tecladista Candida Doyle assistiram um a um.

Apesar de ter passado quase dez anos longe dos palcos, o Pulp provou que nunca deixou de ser uma das grandes bandas de sua geração.

O show que marcou o retorno do grupo britânico aos palcos aconteceu no festival Primavera Sound, em Barcelona, na madrugada do último sábado.

A expectativa era enorme até para os padrões europeus --que parecem nunca se surpreender com shows.

Na hora marcada para a apresentação, cortinas pretas ainda cobriam o palco.

Com cinco minutos de atraso, as cortinas finalmente caíram para revelar Jarvis Cocker em cima de uma das caixas de som cantando, ironicamente, as primeiras estrofes de "Do You Remember the First Time?" (você se lembra da primeira vez?).

Ao final da música, Cocker deu mais alguns minutos de espera para os fãs após tirar algumas peças de roupa por conta do calor. Primeiro, abandonou o paletó, para em seguida deixar a gravata também de lado. "Hoje, nós vamos fazer história", disse.

Já na segunda música, "Pink Glove", o músico mostrou que os anos podem ter passado, mas que ele não perdeu sua charmosa presença de palco, que ofusca o restante da banda.

O primeiro momento de delírio dos fãs veio na quinta música, o hit "Disco 2000". Algumas canções depois, um momento inusitado: um rapaz chamado por Cocker ao microfone pediu a namorada em casamento. Ela disse sim.

A coroação da banda aconteceu na última música do show: o maior hino da banda, "Common People".

IMPORTÂNCIA

Formada em 1978, a banda ficou famosa na era do britpop e teve seu auge entre 1992 e 1996. As letras irônicas e a postura politizada sempre foram a aura do Pulp.

Em um célebre episódio, Cocker invadiu o palco da premiação Brit Awards, em 1996, após se revoltar com uma apresentação de Michael Jackson, na qual o rei do pop foi mostrado como uma espécie de Jesus Cristo.

Cocker, que já declarou não ser religioso, expressou sua indignação mostrando o bumbum (vestido) para as câmeras. Após a morte de Jackson, declarou que ainda não achava aquilo certo.

Embora hoje em dia a politização de canções seja uma espécie de modinha na música, Cocker manteve seu estilo, dedicando "Common People", que fala sobre a classe trabalhadora, às pessoas que foram feridas durante protestos contra o desemprego na Plaza de Cataluña na semana passada.

FOLHA

"A Mulher Invisível" traz Luana Piovani como garota ideal

Linda, sensual e disposta a satisfazer todos os desejos de seu homem. A Amélia moderna atende pelo nome de Amanda, anda de lingerie pela casa e tomou as formas de Luana Piovani há dois anos, quando foi lançado o filme "A Mulher Invisível", de Cláudio Torres.

Com praticamente a mesma equipe e o mesmo elenco principal, o longa foi transformado em seriado de televisão pela Conspiração Filmes, em sua primeira coprodução com a Globo. Para a primeira temporada foram programados cinco episódios.

Nas duas versões, em momentos de confusão amorosa, o romântico Pedro (Selton Mello) passa a se relacionar com a tal "mulher ideal". O único problema é que ela só existe na imaginação dele.

A principal novidade da série é a presença de Clarisse, vivida por Débora Falabella. Contraponto à personagem de Piovani, ela vive a mulher real de Pedro (Selton Mello), que além de tudo também é sua chefe.

Outro frescor vem da direção, que passa a ser comandada também por Mello.

"Na vida real, não existe ninguém perfeito", diz Piovani. "Nem seria justo que existisse".

Frequentemente perseguida por paparazzi, a atriz conta ainda ter uma ponta de inveja da personagem. "Tem muitas horas que dá vontade de ser invisível", afirma.


A MULHER INVISÍVEL
Estreia da série
QUANDO hoje, às 23h05, na Globo
CLASSIFICAÇÃO 16 anos


FOLHA

Coldplay anuncia lançamento de novo single nesta sexta

Seguindo os passos do Radiohead, o Coldplay surpreendeu os fãs nesta terça-feira anunciando o lançamento de um novo single ainda esta semana.

"Estamos prestes a tocar em um monte de festivais de verão, então é hora de lançar uma música nova", escreveu a banda em seu site.

A música, chamada "Every Teardrop Is A Waterfall", estará disponível digitalmente nesta sexta-feira. Segundo a mensagem, a faixa também poderá ser ouvida no íntegra no site.

O Coldplay não explica se a faixa faz parte de seu próximo álbum, previsto para sair ainda este ano. O último CD do quarteto inglês, "Viva la Vida or Death and All His Friends", foi lançado em 2008.

FOLHA

Marcos Mion e Record são processados por homofobia

Entidades do movimento gay reclamaram de comentários de Marcos Mion no "Legendários", da Record. Durante o programa, o apresentador disse que a drag queen Nany People "tem surpresinha" e perguntou "o que ela faz com o pacote" na hora do banho.

Tanto o apresentador quanto a emissora estão sendo processados por homofobia.

Ele diz que o caso está com o departamento jurídico da Record, que, por sua vez afirma que houve "exercício da liberdade de expressão" que "não feriu ninguém".

A informação é da coluna Mônica Bergamo publicada nesta terça-feira (31).

FOLHA

PMDB vê enfraquecimento de Palocci e cobra mudança na articulação política

BRASÍLIA - O PMDB quer mudanças na articulação política do Palácio do Planalto e duvida da sobrevivência no cargo do chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. O diagnóstico, que atinge em cheio o núcleo político do governo, começou a ser propalado nesta segunda-feira, 30, por líderes do partido como efeito colateral do desgaste provocado pelas cobranças ásperas do Planalto ao partido depois da derrota na votação do Código Florestal. A cúpula peemedebista avalia que houve quebra de confiança na relação com o PT e a presidente Dilma Rousseff.
Foi neste clima que Michel Temer reuniu nesta segunda a bancada do PMDB no Senado para um jantar no Palácio do Jaburu, residência oficial da vice-presidência. Dos 18 senadores do partido, apenas Jarbas Vasconcelos (PE) avisou que não compareceria. Pela manhã, a presidente entregou o cargo interinamente a Temer antes de viajar para o Uruguai.
Havia sido combinado que os dois fariam da ocasião um momento de armistício entre o PMDB e o governo após os sucessivos desencontros de articulação política da semana passada, mas a foto oficial divulgada pela Presidência mostra uma tentativa de um abraço distante.
Apesar dos esforços de reconciliação desencadeados, peemedebistas já começam a discutir como será o reforço na interlocução política do governo. O partido entende que o rearranjo interno já está em curso e que, por isso mesmo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, ampliou seu raio de ação e ganhou mais peso na interlocução do Planalto.
Personagem. Dirigentes do partido apostam que o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, entrará em campo nos próximos dias para reforçar o time da interlocução com o Congresso. Será uma solução ad hoc, que vai durar enquanto Palocci estiver "mergulhado".
A própria viagem de Cardozo na comitiva oficial de Dilma ao Uruguai foi considerada um sintoma dessa atribuição informal. Não apenas por conversar bem com o vice Temer, mas pelo conhecimento que tem do Congresso (ele foi deputado) e pelo trânsito fácil junto aos líderes da base aliada, conquistado nos tempos de atuação parlamentar.
ESTADÃO