News by Twitter - Share this blog on your social networks

Wednesday, August 31, 2011

Bovespa segue como pior aplicação; ouro tem melhor retorno


As turbulências de agosto nos mercados financeiros tiveram o duplo efeito de derreter as Bolsas de Valores e detonar uma corrida pelo ouro. Na BM&F, as cotações da commodity dourada subiram 7,9% neste mês, sendo com folga com a melhor aplicação do período.

Em âmbito menos restrito, investidores ainda continuaram a encontrar alternativas mais confortáveis no segmento de renda fixa. A rentabilidade média dos CDBs vendidos pelos bancos foi de 1,07% em agosto (em termos brutos, isto é, sem considerar impostos), batendo a inflação de 0,44% do período (IGP-M).

Mesmo a poupança, com um retorno de 0,71%, garantiu alguma tranquilidade para os aplicadores neste mês.

Os preços da moeda americana tiveram um repique de 2,5%, colocando os fundos cambiais entre as melhores alternativas do mês, um acontecimento raro neste ano.

Já a Bolsa de Valores manteve o quadro dos meses anteriores: o índice Ibovespa, referência para vários fundos de renda variável, amargou desvalorização de 3,96% em agosto.

"A Bolsa não pode cair para sempre", diz João Lucas Odebrecht, supervisor de investimentos da corretora Omar Camargo. A exemplo de outros analistas, Odebrecht acredita em melhores chances para a Bovespa em setembro: há uma perspectiva de que os juros básicos do país comecem a cair nos próximos meses, o que (quase) sempre melhora as perspectivas para a renda variável.

O cenário externo preocupa, mas também há alguns indícios positivos nos EUA e na Europa. O banco central americano sinalizou novas medidas para ajudar a recuperação da economia - o que ainda precisa se confirmar - e na Europa, há esboços de uma solução conjunta para a crise das dívidas soberanas  - o que também precisa virar realidade.

RENTABILIDADE ANUAL

Ouro e Bolsa repetem suas posições no período de oito meses deste ano. Enquanto a cotação da commodity tem um ganho acumulado de 15,8% entre janeiro e agosto, o índice Ibovespa desvalorizou 18,48% no mesmo período.

No espaço intermediário, o CDB acumulou um retorno de 7,73% (em termos brutos) no período de janeiro a agosto, enquanto a poupança entregou um retorno de 4,97%, acima da inflação acumulada neste ano de 3,48%, pela referência do IGP-M.

O dólar, por sua vez, sofreu queda de 4,4%. Analistas consideram as cotações da moeda americana devem se mexer pouco no restante do ano, salvo eventos imponderáveis no front externo, como por exemplo, uma piora significativa nas condições da economia americana.

FOLHA

Teclas de atalho: um recurso útil e pouco usado


Num ambiente gráfico como o Windows, o mouse é parte essencial da operação dos programas, mas muitos recursos podem ser acessados mais rapidamente por meio de combinações de teclas, chamadas de teclas de atalho. Algumas funcionam da mesma maneira em qualquer situação; outras dependem do programa que está sendo usado.

A TECLA WINDOWS

Do lado esquerdo da barra de espaço do teclado encontra-se a tecla Windows. Ela pode ser pressionada sozinha ou em combinação com outras teclas. Veja suas utilidades:

  • Tecla Windows: exibe o menu Iniciar
  • Tecla Windows + D: minimiza ou maximiza todas as janelas abertas
  • Tecla Windows + E: executa o Meu Computador/Computador
  • Tecla Windows + F: executa a janela Pesquisar para fazer busca de arquivos
  • Tecla Windows + R: exibe a janela Executar
  • Tecla Windows + L: ativa a proteção por senha; você deve digitar a senha do Windows para liberar a tela
  • Tecla Windows + U: abre o gerenciador de acessibilidade para portadores de deficiência
  • Tecla Windows + M: minimiza todas as janelas; nesse caso, Windows + D não as restaura
  • Tecla Windows + Shift + M: desfaz minimizar (para todas as janelas)
  • Tecla Windows + F1: abre Ajuda e Suporte do Windows
  • Tecla Windows + Break: abre as Propriedades do Sistema

ATIVANDO O MODO DE TECLADO DO MOUSE

Um recurso de acessibilidade do Windows permite que você movimente o ponteiro do mouse usando as teclas de seta do teclado numérico do computador. Para ativar esse modo, pressione Shift + Alt + Num Lock e confirma a operação.

Essa combinação funciona para ligar e desligar o recurso. Quando ele fica ativo, aparece um mouse na barra de tarefas, e as teclas de seta movimentarão o ponteiro. Para fazer ajustes de velocidade, ao ativar o recurso, clique no link para acessar a caixa de diálogo do mouse e especifique os valores desejados.
José Antonio Ramalho
José Antonio Ramalho é escritor, jornalista e fotógrafo. Publicou 108 livros sobre tecnologia, mitologia grega e fotografia, traduzidos para o inglês, espanhol, polonês, indonésio e chinês. Ganhou dois prêmios de jornalismo técnico.
FOLHA

WikiLeaks informa que seu site foi atacado por hackers


O WikiLeaks informou que seu site sofreu um ataque de hackers na noite de terça-feira (30), enquanto a organização continua a postar milhares de documentos diplomáticos norte-americanos inéditos, alguns dos quais ainda considerados sigilosos.

"O WikiLeaks.org está sob ataque no momento", afirmava uma mensagem da organização pelo Twitter, em uma página que se acredita ser controlada por Julian Assange, o controvertido australiano que fundou e dirige a organização de denúncias.


O WikiLeaks posteriormente descreveu o problema como um "ciberataque". Em mensagem posterior no Twitter, a organização informou que o site estava funcionando de novo, embora alguns usuários continuassem a enfrentar problemas de acesso.

Os documentos norte-americanos os quais o site está divulgando parecem fazer parte de um acervo de 250 mil mensagens do Departamento de Estado norte-americano "vazados" para o grupo. O WikiLeaks começou a postar os documentos em lotes pequenos no final do ano passado, mas que até o momento os vinha divulgando aos poucos.

Diversas organizações noticiosas de todo o mundo, entre as quais a Reuters, dispõem do acervo completo dos documentos já há meses. Mas, em sua maioria, os veículos de mídia só citaram ou divulgaram tais documentos ao publicar notícias ou artigos investigativos específicos baseados diretamente neles.

Uma pessoa que tem contato com os colegas mais próximos de Assange disse à Reuters recentemente que os ativistas da organização estavam decepcionados com a perda de interesse dos veículos noticiosos em publicar reportagens sobre o material, e que isso explicava a decisão de postar os documentos em lotes muito maiores.

A fonte descreveu Assange e seus associados como "frustrados" com a falta de interesse da mídia.

No ano passado, o WikiLeaks e Assange foram celebrados depois de divulgar os documentos do Departamento de Estado, dezenas de milhares de outros arquivos secretos norte-americanos e um vídeo sigiloso sobre uma controversa operação militar norte-americana no Iraque.

Mas o interesse do público pelo material do WikiLeaks caiu, depois disso. A organização pode ter sofrido com a publicidade negativa relacionada à fuga de Assange para o Reino Unido depois de ser acusado de delitos sexuais na Suécia, e com a prolongada disputa judicial quanto a um pedido sueco de extradição.

Assange, que nega quaisquer delitos, também se desentendeu publicamente com ex-colegas.

Uma pessoa próxima a ele disse que um tribunal britânico de recursos decidirá no começo de setembro quanto ao apelo de Assange contra o pedido da Suécia por sua extradição. A fonte não está ciente de qualquer conexão entre a divulgação do último lote de documentos e a expectativa de uma decisão judicial.

FOLHA

Gmail, Google Agenda e Docs ganham versão off-line


O Google anunciou nesta quarta-feira (31) versões dos serviços Gmail, Agenda e Docs para uso off-line (sem acesso à internet).

A versão off-line do Gmail, já em funcionamento, requer o Chrome, navegador do Google. Para usá-la, é preciso instalar um aplicativo especial na loja virtual Chrome Web Store.

O Google Agenda e o Docs estrearão na próxima semana, segundo a empresa.

No modo sem conexão do Google Agenda, será possível ver eventos e confirmar convites de compromissos.

Já o Google Docs off-line permitirá visualizar documentos, mas não editá-los - função que a empresa promete implementar no futuro.

FOLHA

Facebook lançará sua própria plataforma musical, diz CNBC


A rede social Facebook anunciará o lançamento de seu próprio serviço musical em sua próxima conferência de desenvolvedores, marcada para 22 de setembro, informou nesta quarta-feira (31) o canal de televisão CNBC.

A informação foi lançada pelo jornalista especializado em tecnologia Jon Fortt durante o programa Fast Money Halftime Report, no qual citou uma fonte com conhecimento da decisão, segundo a qual parece "provável" que a empresa não hospedará a música, mas se associará com outras companhias.

"O plano do Facebook é lançar o serviço musical na conferência de desenvolvedores do dia 22 de setembro", disse. A conferência de desenvolvedores do Facebook, chamada f8, será em San Francisco (Califórnia) e os ingressos já estão à venda.

Nas edições anteriores, a feira chamou a atenção por anunciar algumas das novidades que potencializaram o uso desta rede social. No ano passado, por exemplo, o fundador e principal executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou o botão Curtir (Like), que permite observar os gostos de outros usuários.

Também anunciou a ferramenta Open Graph, que recopila informação sobre os portais que o usuário navegou recentemente e a mostra tanto no seu perfil do Facebook como em outros lugares da rede.

Naquele momento, a rede social contava com 400 milhões de usuários, um número que praticamente duplicou em 2011.

EFE/FOLHA

Ingressos para Brasil x Argentina em Belém custam de R$ 90 a R$ 400


A organização dos amistosos entre Brasil e Argentina, agora chamado de Superclássico das Américas, divulgou nesta quarta-feira o valor dos ingressos para o jogo do próximo dia 28, no estádio do Mangueirão, em Belém.

O ingresso mais barato, da arquibancada, custará R$ 90. Cadeiras, R$ 190. Já os bilhetes mais caros serão o do pacote VIP, por R$ 400, que inclui serviço de buffet.

As vendas começam na internet em 7 de setembro, para alguns serviços específicos. Os pontos físicos de venda serão abertos no dia 12.

Para os amistosos, as seleções de Brasil e Argentina contarão apenas com jogadores que atuam nos respectivos países.

O primeiro Superclássico será realizado em Córdoba, na Argentina, dia 14, às 21h50 (de Brasília).

FOLHA

Torcida organizada do Palmeiras é banida dos estádios em São Paulo


A FPF (Federação Paulista de Futebol) decidiu nesta quarta-feira banir a torcida organizada palmeirense Mancha Alviverde dos estádios em São Paulo. A medida acontece após os incidentes registrados antes do clássico contra o Corinthians, em Presidente Prudente, no último domingo, pelo Brasileiro.

A informação foi confirmada à Folha pelo presidente da FPF, Marco Polo Del Nero.

Na confusão, os torcedores Lucas Alvez Lezo e Roberto Vieira de Castro, ambos de 21 anos e integrantes "Mancha", terminaram baleados -  o primeiro na perna e o segundo no glúteo. Enquanto Lucas recebeu alta nesta terça, Roberto continua internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em estado grave e não tem previsão de saída.

Em campo, o Palmeiras bateu o rival por 2 a 1, no estádio Prudentão, graças a um gol do recém-contratado atacante Fernandão aos 8min do segundo tempo.

Procurada pela Folha, a diretoria da torcida organizada não foi encontrada no telefone de sua sede, em Perdizes, sob alegação de que todos os seus membros viajaram para o Rio, onde o Palmeiras enfrenta o Botafogo, à noite, pela 20ª rodada do campeonato.

Em seu site oficial, a uniformizada acusa a Polícia Militar de ter sido a responsável pelo que aconteceu. Com um texto que toma toda a página, antes mesmo da tela inicial, acusa a PM de "descaso" e de ter usado usado munição convencional, e não de borracha.

"A imprensa só ouve uma versão e, como sempre, somos expostos como culpados. (...) Não respeita quem foi vítima de uma atrocidade e exagero no país da Copa", acrescenta.

Na década de 1990, o Ministério Público Estadual decidiu pela extinção tanto da Mancha Verde (Palmeiras) quanto da Independente (São Paulo) por episódios de violência. Elas voltaram aos estádios, porém, com outros nomes e permanecem em atividade.

FOLHA

WikiLeaks nega ter colocado vidas em risco e acusa "Guardian"


O WikiLeaks defendeu-se nesta quarta-feira das acusações de que teria colocado vidas em risco ao postar na internet, sem censura prévia, documentos diplomáticos dos Estados Unidos e acusou o jornal britânico "Guardian" de ter sido negligente com senhas e materiais fornecidos pelo site.

Em uma série de mensagens cifradas pelo Twitter, o site especializado em divulgar segredos governamentais sugeriu que a negligência de ex-funcionários da organização e de pelo menos um grande veículo de comunicação levou inadvertidamente à publicação de versões não-editadas de todos os 251 mil documentos do Departamento de Estado que o WikiLeaks supostamente possui.

Membros do governo norte-americano têm criticado o WikiLeaks por incluir no seu último lote de vazamentos, contendo dezenas de milhares de documentos, alguns comunicados que identificam nominalmente supostos militantes e contatos de embaixadas dos EUA.

A nova polêmica envolvendo atuais e ex-colaboradores do WikiLeaks está cada vez mais acalorada e tortuosa. Mas a verdadeira questão é se alguém - e quem - divulgou documentos não-editados que podem colocar as pessoas citadas em risco, ou prejudicar operações de contraterrorismo.
Em mensagem na sua conta do Twitter, supostamente controlada por Julian Assange, fundador do WikiLeaks, a organização acusou um "grande veículo de comunicação", que não foi identificado, por ter "revelado todos os 215 mil telegramas sem edição".

ACUSAÇÕES CONTRA "GUARDIAN"

Numa mensagem anterior na terça-feira, o WikiLeaks disse: "Não houve erro do WikiLeaks. Houve um erro brutalmente negligente por parte de um grande veículo de comunicação, para colocar em termos generosos".

Nesta semana, publicações alemãs e um blog da revista Wired disseram que um arquivo de 1,73 gigabyte protegido por senha e contendo todos os telegramas na íntegra estaria "supostamente circulando em algum lugar da Internet". A Wired disse ter ouvido do editor da publicação alemã Der Freitag que seu jornal encontrara o arquivo e "obteve facilmente a senha".

Duas pessoas familiarizadas com os bastidores da polêmica disseram que, reservadamente, Assange tem atribuído a falha de segurança ao seu ex-colaborador Daniel Domscheit-Berg, e também acusa o jornal britânico "Guardian" de publicar a senha do material em um livro sobre o WikiLeaks lançado neste ano por dois ex-repórteres do jornal.

Ex-colaboradores de Assange sugerem que a acusação feita pelo WikiLeaks contra um grande veículo de comunicação é uma tentativa de desviar a atenção do fato de que a própria organização, em seu novo lote de documentos divulgados, manteve nomes de pessoas que deveriam ter sido apagados.

Vários veículos de comunicação, inclusive a Reuters, há meses possuem conjuntos completos dos telegramas diplomáticos. Mas o WikiLeaks só havia divulgado ao público alguns milhares de documentos, até que na semana passada repentinamente acelerou a sua divulgação. Até quarta-feira, o site disse já ter liberado quase 143 mil documentos.

Em mensagem nesta quarta-feira pelo Twitter, o WikiLeaks afirmou que "não divulgou o nome de nenhum 'informante'", e sugeriu que todo o material que está sendo divulgado era "não sigiloso e previamente divulgado para a grande imprensa".

Duas fontes jornalísticas que tiveram acesso ao material disseram que ele continha alguns documentos sigilosos e não editados. A Reuters examinou dois desses documentos, divulgados pelo site do WikiLeaks, em que uma fonte do governo dos EUA era identificada; em um caso, o documento, classificado como "secreto", continha uma clara instrução: "Proteger a fonte".

Nem Assange nem seu principal antagonista, Domscheit-Berg, puderam ser imediatamente localizados para comentar.

REUTERS/FOLHA

Gisele Bündchen posa só de calcinha e sutiã para campanha


Gisele Bündchen, 31, mostrou mais uma vez por que aparece em todas as listas de mais sexies do mundo.
A top brasileira fotografou de calcinha e sutiã para a campanha de sua linha de roupa íntima.
A Gisele Bündchen Brazilian Intimates é licenciada pela marca de lingeries Hope.
As fotos da campanha, que foram divulgadas nesta quarta-feira (31), foram feitas por Bob Wolfenson.
FOLHA

Orçamento de 2012 prevê crescimento de 8,3% nos investimentos federais


Luciene Cruz e Wellton Máximo
Repórteres da Agência Brasil
Brasília – A proposta do Orçamento Geral da União de 2012, enviada hoje (31) ao Congresso Nacional, prevê investimentos recordes de R$ 165,3 bilhões. O montante é 8,3% maior que o disponível neste ano e foi divulgado há pouco pelo Ministério do Planejamento. Desse total, R$ 58,5 bilhões vêm do Orçamento Fiscal e da Seguridade e R$ 106,8 bilhões vêm do orçamento das estatais.
A meta de inflação oficial pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 4,8%. O valor é maior que o centro da meta de inflação, que é 4,5%.
O Orçamento prevê ainda crescimento de 5% do Produto Interno Bruto (PIB), taxa de câmbio média de R$ 1,64 e taxa de juros Selic de 12,5% ao ano. A massa salarial nominal deverá crescer 9,8% no próximo ano.
O salário mínimo, como divulgado pela manhã pela ministra do Planejamento, Miriam Belchior, será R$ 619,21. Esse aumento corresponde ao crescimento de 7,5% no PIB de 2010 mais a inflação prevista pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).
Edição: Lana Cristina
AGÊNCIA BRASIL

Jovens internados em Mato Grosso são submetidos a tortura, diz entidade


Adolescentes internados no Complexo do Pomeri, principal centro de atendimento socioeducativo de Mato Grosso, são submetidos a tortura e maus-tratos, recebem comida estragada e são mantidos em péssimas condições estruturais e sanitárias.

O cenário foi descrito em um relatório divulgado nesta quarta-feira pelo Fórum de Direitos Humanos e da Terra de Mato Grosso. O documento foi produzido após a visita de uma comissão à unidade no início de agosto.

"Encontramos marcas de balas de borracha no corpo dos adolescentes e marcas de espancamento. Um deles tinha o braço quebrado", relatou Dalete Soares, do Movimento Nacional de Direitos Humanos e integrante do fórum.

Na visita, segundo o relatório, vários internos relataram ter sido torturados por quatro agentes de uma equipe específica de plantão. "Os relatos indicam que qualquer reclamação dos internos é respondida com violência e atos de tortura", afirmou Soares.

A entidade divulgou fotos do interior de algumas das instalações da unidade. "Além da sujeira, as instalações elétricas são precárias, e as paredes ameaçam desabar", disse.

Agentes ouvidos na visita confirmaram que dois adolescentes tiveram de receber atendimento após ingerir a comida oferecida na instituição, a cargo de uma empresa terceirizada.

Com capacidade para 110 adolescentes, a unidade tinha 126 internos no momento da visita. O relatório foi encaminhado à Secretaria de Justiça e Direitos Humanos.

EM OBRAS

À Folha, a superintendente estadual do sistema socioeducativo, Lenice Silva Santos, disse que muitas das situações levantadas pelo relatório já vêm sendo "enfrentadas".

"Foi aberta uma sindicância interna para apurar as denúncias de tortura. A empresa de alimentação recebeu uma punição administrativa e está suspensa de participar de licitações no Estado", disse ela.

Sobre as imagens das instalações, a superintendente disse que mostram um ala antiga que será desativada após a inauguração de um novo prédio, em dezembro. "Enquanto isso, temos uma equipe encarregada de pequenos reparos".

FOLHA

AmBev e Pão de Açúcar se unem para vetar venda de bebida a menor


A fabricante de bebidas AmBev e o Grupo Pão de Açúcar anunciaram nesta quarta-feira parceria em programas voltados a supermercados e bares para evitar a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.

As iniciativas, cujos investimentos não foram revelados pelas empresas, preveem a solicitação de um documento de identidade a todas as pessoas que aparentarem ter menos de 25 anos de idade no momento da compra.

Desenvolvido pelo Grupo Pão de Açúcar, um sistema operacional que bloqueia a venda de bebidas alcoólicas após leitura do código de barras, a menos que seja inserida a data de nascimento do cliente, passará a funcionar em 395 lojas da varejista nos Estados de São Paulo e Paraná nesta quarta-feira. Até o final de outubro, o sistema estará disponível em todo o país.

No caso dos bares, a parceria prevê treinamento e distribuição de kits a donos de estabelecimentos e garçons. No primeiro momento, 3.500 bares serão incluídos no programa, dos cerca de 1 milhão existentes no país.

"Não nos interessa o lucro proveniente de vendas (de bebidas) para menores de idade e para quem bebe e dirige", disse o vice-presidente de Relações Corporativas da AmBev, Milton Seligman, a jornalistas, quando questionado sobre uma possível retração no volume de vendas decorrente da iniciativa. "Não estamos preocupados com isso", acrescentou.

Ele afirmou ainda que a companhia não terá condições de medir o volume que deixará de ser vendido nesses casos.

Segundo o executivo, as empresas acompanharão os resultados do programa por meio de pesquisas sobre consumo de bebidas alcoólicas. "Não teremos resultado muito rápido. Vai demorar para as pesquisas incluírem o resultado disso", disse Seligman.

De acordo com o executivo, esse modelo de parceria deve ser ampliado para outras redes varejistas do país. "Tenho certeza que outras redes vão adotar", disse ele.

O Wal-Mart informou nesta quarta-feira que, há quatro anos, utiliza um sistema que bloqueia a venda de bebida alcoólica para menores de idade, nos mesmos moldes da ferramenta desenvolvida pelo Pão de Açúcar. O sistema, segundo a companhia, funciona em 120 hipermercados da rede no país.

FOLHA

Executivo americano diz que convenceu Walter Clark a ir para a Globo


O americano Joe Wallach falou sobre os bastidores dos 15 anos em que foi alto executivo da Globo no "Programa do Jô".
Ele chegou ao Rio de Janeiro em 1965 como representante do grupo americano Time-Life.
"Quando encontrei com Roberto Marinho pela primeira vez, foi no Copacabana Palace", contou. "Ele estava com uma cara triste e comecei a tentar captar a confiança dele".
Autor do livro "Meu Capítulo na TV Globo", ele revelou ter sido o responsável por convencer Walter Clark a trabalhar na emissora.
"Quando chegamos na Globo, começamos a arrumar a casa", afirmou. "Walter começou a deslanchar mesmo em 1966".
Clark foi o primeiro diretor-executivo da Globo e comandou o crescimento da emissora com a criação de programas como o "Jornal Nacional" e o "Fantástico".
Wallach disse ainda que sua intenção inicial era ficar apenas um ano no Brasil.
"Quando o avião aterrissou no país, fiquei emocionado com a cidade, com o povo simpático e com o calor. Estava acostumado com americanos bitolados", disse. "Gostei tanto daqui que acabei ficando 15 anos".
A entrevista vai ao ar nesta quarta-feira (31).
FOLHA

Argentina cobrará tarifa para filmes estrangeiros exibidos no país


Argentina cobrará uma tarifa aos filmes estrangeiros que forem exibidos nas telas do país com o objetivo de promover o cinema nacional, segundo uma resolução publicada nesta terça-feira no Diário Oficial.

A presidente do Instituto Nacional de Cinema e Artes Audiovisuais (INCAA), Liliana Mazure, assinou a resolução na qual se estabelecem taxas que as produtoras deverão pagar em função do número de salas onde os filmes estrangeiros serão exibidos, assim como de sua localização.

Na cidade de Buenos Aires os filmes estrangeiros deverão pagar uma tarifa desde o equivalente a 300 ingressos de cinema pelo total de telas nas quais serão exibidos, quando as cópias não forem mais de 40, até o valor de 12 mil ingressos quando forem distribuídas mais de 161 cópias do filme.

Para poder serem exibidos no resto do país, as taxas caem para a metade.

O valor do ingresso será uma média do preço de mercado das salas comerciais de exibição da capital argentina, que será publicado bimestralmente pelo INCAA.

As entradas para o cinema nas grandes cadeias comerciais de salas de exibição na Argentina custam entre US$ 3,8 e US$ 9, dependendo dos dias e horários.

FOLHA

Índio reage a acusação feita por governador de Mato Grosso


Acusado de fraude em venda de terras pelo governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), o cacique terena Cirênio Reginaldo Francisco disse que não fez nenhuma venda e que pretende discutir o caso em uma audiência com o governador.

"Como posso ter feito uma fraude contra ele se nem sabia que a terra tinha sido vendida? Quero dizer isso a ele pessoalmente", disse o índio à Folha, por telefone.

No sábado, a Folha revelou que a compra, por Silval, de uma área de 4.235 hectares registrada em nome do cacique é investigada pelo Ministério Público Federal sob suspeita de grilagem de terras federais. O índio nega ter assinado a venda.

Em nota, Silval se disse um comprador de "boa-fé" e afirmou que foi alvo de fraude aplicada pelo índio "com a conivência do notário local".

"[Silval] Descobriu a fraude, não tomou posse do imóvel e fez o distrato que foi assinado pelo vendedor", dizia a nota, que acusava o cacique de tentar "livrar-se da responsabilidade pelo ato".

A compra foi registrada em junho de 2009. O distrato foi assinado em fevereiro deste ano. Segundo a defesa do governador, ele considerou desnecessário registrar uma ocorrência ou encaminhar o caso como denúncia ao Ministério Público.

"O governador entendeu que, fazendo o distrato, com a assinatura do índio, estava tudo resolvido. E não tomou nenhuma outra providência", disse o advogado de Silval, Francisco Faiad.

O "Diário Oficial" mostra que, meses após a descoberta da suposta fraude, o índio foi contratado como professor da rede estadual e ainda recebeu da Casa Civil a doação de uma camionete de R$ 55 mil, em nome da entidade indígena que preside.

TRISTE

O cacique Cirênio tem 46 anos e vive na reserva indígena Terena do Iriri, onde é professor de língua terena.

Segundo ele, a área comprada pelo governador foi colocada em seu nome em 2003 por orientação de servidores da Funai e do Incra.

"Dos três caciques, só eu tinha RG e então ficou no meu nome", disse.

O índio se disse desapontado com o teor da nota divulgada pelo governo. "Fiquei triste, mas não quero briga. Perto de um governador, não sou nada".

FOLHA

Cientistas estudam corais para produzir pílulas de proteção solar


Cientistas planejam utilizar o sistema de defesa natural dos corais contra os raios ultravioletas (UV) para produzir uma pílula de proteção solar para consumo humano.

Uma equipe da universidade King's College, de Londres, visitou a Grande Barreira de Corais da Austrália para entender os processos genéticos e bioquímicos por trás do dom inato desses invertebrados marinhos.

Ao estudarem algumas amostras da espécie ameaçada de coral Acropora, os cientistas acreditam poder reproduzir em laboratório os principais componentes responsáveis pela proteção solar.

Os testes com pele humana devem começar em breve. E, antes de desenvolver uma versão em forma de comprimido, a equipe liderada pelo professor Paul Long pretende testar uma loção contendo os mesmos componentes encontrados no coral.

Para isso, os pesquisadores vão copiar o código genético dos corais para criar os componentes e colocá-los, em laboratório, dentro de bactérias que possam se reproduzir rapidamente, a fim de proporcionar uma produção em grande escala.

"Nós não poderíamos e não queremos usar o coral já que ele é uma espécie ameaçada", disse Long.

CORAIS E ALGAS

Segundo o professor, sabe-se há algum tempo que os corais e algumas algas podem proteger-se dos raios ultravioletas em climas tropicais ao produzir seus próprios filtros solares, mas não se sabia como isto ocorria até agora.

"O que nós descobrimos é que as algas que existem dentro dos corais produzem um componente que acreditamos ser transportado para o coral, que então o transforma em um protetor solar, tanto para benefício próprio quanto para a alga", afirma Long.

"Isto não só os protege dos danos dos raios UV, mas notamos que os peixes que se alimentam do coral também se beneficiam dessa proteção solar, então isto é claramente passado na cadeia alimentar".

Isto pode ocasionar, em algum momento, que as pessoas possam desenvolver uma proteção solar interior para sua pele e seus olhos ao tomar um comprimido contendo esses componentes.

TESTES EM PELE

"Assim que nós recriarmos os componentes, poderemos colocá-los em uma loção e testá-la em pedaços de pele descartados depois de cirurgias plásticas", diz Long.

Outro objetivo de longo prazo do estudo, financiado pelo Conselho de Pesquisa em Ciências Biotecnológicas e Biológicas britânico, é observar se os processos também podem ser usados para desenvolver a agricultura sustentável nos países em desenvolvimento.

Os componentes naturais de proteção solar encontrados nos corais podem ser usados para produzir lavouras tolerantes aos raios UV, capazes de suportar a incidência do sol em climas tropicais.

BBC BRASIL/FOLHA

EUA infectaram com DSTs mais de 1.500 pessoas na Guatemala


Na década de 1940, o médico John Cutler, funcionário do serviço de saúde pública dos EUA, financiado com verba americana, infectou de propósito e sem consentimento prostitutas, prisioneiros, soldados e doentes mentais com sífilis e gonorreia, num total de mais de 1.500 pessoas na Guatemala.

Na época, o governo guatemalteco foi informado e aceitou os procedimentos.

Esta é a conclusão da investigação histórica sobre os abusos das pesquisas com DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) conduzidas por americanos nos anos 1940, na Guatemala.

A informação foi dada em comunicado oficial por Amy Gutmann, chefe da Comissão Presidencial para o Estudo de Questões Bioéticas dos EUA.

"É importante fazermos a documentação precisa dessa clara injustiça histórica. Fazemos isso para homenagear as vítimas", diz Gutmann.

"Temos de aprender com o passado para que possamos assegurar ao público que hoje a pesquisa científica e médica é conduzida de forma ética", afirma Gutmann.

DESCULPAS

A investigação terminou após quase um ano do pedido oficial de desculpas por telefone do presidente Obama ao presidente da Guatemala, Álvaro Colom. Obama ordenou o inquérito sobre os estudos na América Central.

A comissão americana analisou mais de 125 mil documentos originais de arquivos públicos e privados em todo o país e realizou uma viagem investigativa para a Guatemala.

Os membros da equipe descobriram que muitos dos pesquisadores envolvidos em um projeto semelhante em 1943 em Terre Haute, Indiana (EUA), foram depois para a Guatemala realizar a pesquisa com DSTs.

Enquanto em Terre Haute os prisioneiros foram voluntários e consentiram em participar, na Guatemala não houve tal consentimento.

O resultado da investigação será entregue a Obama no começo do mês que vem, e o relatório final sairá em dezembro deste ano.

FOLHA

Casal de lésbicas tem dupla maternidade reconhecida pela Justiça


De mochila cor-de-rosa e tiara da mesma cor, Kaylla Brito Santarelli, 3, é símbolo de uma conquista. Ela é fruto de um arranjo inédito de dupla maternidade reconhecida pela Justiça.

A garota de Jandira (Grande SP) vai se tornar a terceira criança brasileira a ter o nome de duas mães na certidão de nascimento. Até 10 de setembro, Kaylla receberá o novo documento. Nele constará o nome de Janaína Santarelli, 29, que a gerou, e o de Iara Brito, 25, que a adotou na condição de companheira da mãe biológica.

"O importante para a criança é que tenha figuras significativas que exerçam as funções parentais, independente de suas opções sexuais", diz a sentença da juíza Débora Ribeiro. O processo para reconhecer Iara como mãe da criança teve início em 2008. "Todos temos direito a formar uma família", diz Janaína. Ela realizou o sonho da maternidade após fazer uma fertilização com um doador desconhecido. Iara, com quem vive desde 2004, acompanhou todo o processo.

Kaylla chama Janaína de "mamãe" e Iara de "manhê". "Ela sempre diz que tem duas mães", afirma Iara. O casal vai relatar a experiência hoje em uma mesa redonda intitulada "Mulheres, lésbicas e relações familiares", promovido pela Secretaria de Estado da Justiça no Pateo do Collegio, na região central de São Paulo. O evento faz parte da programação do Dia da Visibilidade Lésbica, festejado ontem.

Cléo Dumas, especialista em direito homoafetivo, afirma que existem outros dois casos de dupla maternidade reconhecida no país. Um em São Paulo, no qual uma mãe gerou a criança e a sua parceira doou o óvulo. E outro no Pará, onde uma criança de abrigo foi adotada por um casal de lésbicas.

Além de provar que vivem uma relação estável, os casais passam por uma avaliação psicológica. Em Jandira, o estudo diz que Janaína e Iara "proporcionam a Kaylla ambiente saudável, afetivo e favorável ao desenvolvimento". O medo das mães era de que a filha fosse vítima de preconceito. Encontraram apoio dos familiares e na escola dela. Kaylla e os colegas não comemoram Dia das Mães ou dos Pais. "A escola instituiu o Dia da Família".

FOLHA

Ministério Público vai investigar professor do Mackenzie


A Corregedoria do Ministério Público decidiu investigar os fatos envolvendo o procurador e professor do Mackenzie Paulo Marco Ferreira Lima.

De acordo com o órgão, a investigação será presidida pelo corregedor-geral, Nelson Gonzaga de Oliveira, e acompanhada por três procuradores de Justiça, ainda a serem indicados.

Na última sexta-feira, Paulo Marco ameaçou dar voz de prisão a uma aluna que questionou seus métodos de ensino.

O caso ganhou mais repercussão quando o irmão do procurador, o também professor do Mackenzie Marco Antonio Lima, saiu em defesa de Paulo Marco e acusou a aluna, em sua página no Facebook, de racismo.

Por enquanto, a corregedoria não decidiu se vai investigar também Marco Antonio.

A Universidade Presbiteriana Mackenzie, em nota, disse que está apurando a discussão entre professor e aluna. Até esta terça-feira, o caso ainda era apurado uma instância abaixo, na Faculdade de Direito.

No comunicado, divulgado na noite desta quarta-feira, a instituição chamou o ocorrido de "um fato isolado envolvendo um docente recém-contratado" e disse que "todas as medidas serão tomadas pela Reitoria".

O CASO

De acordo com Rodrigo Rangel, diretor do centro acadêmico, a aluna abordou Paulo Marco no corredor da faculdade e ambos discutiram. O professor seguiu então para uma sala de aula, fechou a porta e a aluna tentou forçar a abertura.

Foi neste momento que o professor, evocando a sua condição de procurador, ameaçou mandar prender a estudante, relatou Rangel.

"Ele me disse: `Nesse momento eu me dirijo a você não como professor, mas como procurador de Justiça. Se você não parar de se dirigir a mim ou ao segurança, vou te dar voz de prisão"', relata a estudante, que não quer ser identificada.

Lima não nega ter ameaçado prendê-la, mas diz que foi obrigado porque "ela passou de todos os limites".

"Ela me ofendeu muito mais do que poderia. Nunca houve voz de prisão, só houve a intenção de fazê-la parar com as agressões", conta.

A aluna foi conduzida à direção da faculdade e os ânimos se acalmaram.

No domingo (28), o centro acadêmico publicou uma nota de repúdio pedindo esclarecimentos ao professor. A nota, porém, provocou reação dos alunos, que consideraram inadmissível a atitude do professor.

O irmão de Lima, que também é procurador e professor da universidade, saiu em defesa do seu irmão lembrando sua origem humilde e sua afro descendência.

Em sua página no Facebook - depois apagada -, o professor relata que ela chamou seu irmão de "negro sujo", afirmando "preto não pode dar aula no Mackenzie".

"Essa postura, além de criminosa, é incompatível com a tradição mackenzista, primeira escola a aceitar filhos de abolicionistas", disse o professor.

A aluna, que é bolsista do ProUni (programa do governo que dá bolsa de estudo a alunos carentes), nega que tenha usado expressões racistas. "Eu nunca faria uma coisa que pudesse me fazer perder a bolsa [integral]".

Lima não quis falar sobre os comentários do irmão."Não vou transformar o ocorrido numa questão racial".

Procurada, a universidade disse que apura o caso.

FOLHA

Serviço funerário mantém greve em São Paulo; corpos aguardam transporte


Funcionários do Serviço Funerário da Prefeitura de São Paulo permanecem em greve desde terça-feira (30). No SVO (Serviço de Verificação de Óbito), cerca de 15 pessoas aguardam o transporte de corpos de conhecidos para o cemitério.

Funcionários da Prefeitura de São Paulo vinculados ao Sindsep (Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias no Município de SP), incluindo os do Serviço Funerário, foram recebidos pela administração municipal na tarde de ontem (30) e decidiram pela manutenção da greve. Na quinta-feira (1º) haverá uma assembleia.

O maior problema é o transporte dos corpos que está sendo feito emergencialmente pela GCM (Guarda Civil Metropolitana).

A enfermeira Enedina Soares, 39, quer enterrar o pai no cemitério da Vila Nova Cachoeirinha, mas ainda não conseguiu que o corpo de seu pai fosse transportado.

"O velório e sepultamento foram marcados para a manha de hoje, mas até agora não havia previsão de quando ia chegar alguém para levar o corpo para o cemitério. A pessoa não tem dignidade na hora da morte apesar de ter passado 80 anos pagando impostos", afirmou a enfermeira.

FUNERÁRIAS

Os funcionários do Serviço Funerário de São Paulo já tinham parado em junho deste ano. 

Eles afirmam que as negociações com a prefeitura não avançaram desde então.

A reportagem conseguiu entrar em contato ontem com 10 das 13 agências funerárias credenciadas na prefeitura. Todas confirmaram que os serviços de remoção dos corpos e sepultamento estão parados, mas o atendimento é feito normalmente.

De acordo com um funcionário de uma das garagens do Serviço Funerário, todos os motoristas aderiram à greve. No entanto, a GCM (Guarda Civil Metropolitana) assumiu o trabalho de transporte dos corpos para as funerárias e velórios.

Na última vez que o Serviço Funerário parou, em junho, motoristas, atendentes e sepultadores aderiram à greve, atrasando enterros e velórios na cidade.

De acordo com dados da Secretaria de Planejamento, o Serviço Funerário Municipal tem 1.366 servidores ativos. Ele é responsável pelos cemitérios e faz o transporte dos corpos de hospitais e prédios do IML (Instituto Médico Legal) para as funerárias e velórios.

Caso haja adesão total à greve, há risco de acúmulo de corpos nos hospitais e IML.

OUTRO LADO

A Secretaria de Serviços da prefeitura confirma que ocorreram atrasos e que há déficit de funcionários, mas diz que os serviços estão sendo realizados. O órgão nega que tenha havido prejuízos para a população.

Em nota, a prefeitura diz que o atendimento durante a greve dos trabalhadores do serviço funerário ocorre com reforço da GCM (Guarda Civil Municipal), que cuida do transporte, e funcionários terceirizados.

O órgão também afirma que "considera inadmissível e repudia a paralisação parcial dos servidores do Serviço Funerário que é considerada ilegal pela Justiça, por tratar-se de serviço essencial à população".

A prefeitura ainda diz que concedeu aumento de mais de 15% sobre o piso salarial, que passou de R$ 545 para R$ 630, já somados os abonos, para os servidores com jornada de 40 horas. E que concedeu gratificações que complementam o salário base.

FOLHA