quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Médicos de planos iniciam greve nesta quarta-feira


Os médicos de planos de saúde de todo o País prometem iniciar nesta quarta-feira, 10, uma greve de 15 dias contra os valores repassados pelas operadoras nas consultas e em outros procedimentos médicos. Atendimentos urgentes e emergenciais serão mantidos.
Em sete Estados (Acre, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Piauí, Rio Grande do Norte e Rondônia), a paralisação atingirá todos os convênios. Em cinco unidades (Amapá, Ceará, Distrito Federal, Pará e Roraima), a categoria decidiu fechar acordo com as operadoras e não deve haver paralisação.
Segundo o Conselho Federal de Medicina (CFM), o médico recebe das operadoras, em média, R$ 45 por consulta. A proposta da categoria é que os valores sejam fixados entre R$ 60 e R$ 80. Os médicos também protestam contra a suposta intervenção das operadoras para baixar o custo dos tratamentos.
São Paulo. Em outros Estados, entre eles São Paulo, a greve será parcial. A paralisação promete atingir todos os planos de saúde de dez operadoras que não apresentaram propostas de acordo, segundo a Associação Paulista de Medicina (APM). São elas: Green Line, Intermédica, Itálica, Metrópole, Prevent Sênior, Santa Amália, São Cristóvão, Seisa, Trasmontano e Universal.
Duas outras operadoras iniciaram as negociações ontem e saíram da lista.
A suspensão no Estado vai até a próxima quinta-feira, dia 18 de outubro. A interrupção entre os dias 11 a 17 deverá ocorrer em rodízio de especialidades. Por isso, os pacientes devem telefonar para o consultório para confirmar se haverá atendimento de consultas anteriormente agendadas.
ESTADÃO