DONATIONS luisinhofreitas@gmail.com

Thursday, January 8, 2015

Islamitas brasileiros repudiam o atentado ao Charlie Hebdo

Antonio Rocha
Na qualidade de membro da CCIR – Comissão de Combate à Intolerância Religiosa recebi o e-mail abaixo e divulgo neste prestigioso blog:
####
Em Nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso
O Centro Cultural Imam Hussein, representante da comunidade Muçulmana Xiita do Rio de Janeiro, vem por meio de sua Diretoria, expressar notória e publicamente seu repúdio às ações terroristas perpetradas na cidade de Paris, no último dia 7 de Janeiro, contra a sede da Revista Charlie Hebdo, vitimando fatalmente 12 pessoas.
Condenamos veementemente toda e qualquer forma de violência física e moral contra cidadãos em pleno exercício da democracia. A liberdade crítica, a convivência pacífica e a tolerância são valorizados pressupostos básicos e indispensáveis ao cotidiano islâmico, só assim a paz pode ser alcançada em toda sua plenitude.
Muitos e muitos anos se passaram até que a comunidade islâmica ao redor do globo pudesse gradativamente ser inserida nas sociedades que escolheram como pátria acolhedora. Os muçulmanos pacíficos e ordeiros que contribuem indelevelmente ao desenvolvimento sócio-econômico das sociedades nas quais se incluem, são terrivelmente afetados pelas ações hediondas e abomináveis de indivíduos e grupos isolados que perpetram o ódio e o terror entre a população sob a máscara de um suposto e falacioso discurso religioso. O Islam em sua essência, em seus princípios fundamentais, em sua etimologia e, principalmente, no exemplo de conduta do Profeta Muhammad (SAAW) e de sua família (Ahlul Bayt), deixou sempre evidente a cultura da paz, do respeito e da tolerância.
Nesse sentido, orquestramos com vigor nossos esforços, no intento máximo de condenar peremptoriamente o crime, não permitindo que seja cabível absolutamente nenhuma possibilidade de aceitação ou concessão de espaço para que algum discurso que não seja o de condenação e repúdio total seja admitido a essa ação hedionda.
Nossas sinceras e profundas condolências às famílias das 12 vítimas brutalmente assassinadas nesse episódio. Rogamos juntos para que Allah (SWT) alivie suas dores e lhes conceda forças para enfrentar a injustiça sofrida.
Respeitosamente,
Diretoria do Centro Cultural Imam Hussein.
Carlos Eduardo Meneses
مركز الامام الحسين الثقافي
 Tribuna da Internet

Wednesday, January 7, 2015

'Je suis Charlie' vira frase símbolo de ataque a jornal em Paris

Utilizada primeiro nas redes sociais, a hashtag #JeSuisCharlie (#EuSouCharlie) se espalhou rapidamente pela internet e pelas ruas de diferentes cidades da Europa após o atentado à sede do jornal satírico francês "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas nesta quarta-feira (7), em Paris, se tornando um símbolo de solidariedade à publicação e aos familiares das vítimas.

A frase em francês foi depois estampada na capa do site do próprio "Charlie Hebdo", que a traduziu para sete outros idiomas, entre eles o árabe, o espanhol, o alemão e o russo.

Ela foi também adotada por grandes jornais franceses, como o "Le Monde" e o "Figaro", que colocaram uma moldura preta, em luto, com os dizeres em branco em seus sites.

Nas oito horas seguintes ao ataque, a hashtag #JeSuisCharlie já havia sido utilizada mais de 570 mil vezes no Twitter, inclusive por celebridades como o ator americano Elijah Wood, segundo o contador online Topsy.

A embaixada dos EUA na França chegou a trocar a foto de perfil da conta da representação no Twitter pela imagem com a frase em francês.

Da internet, a frase foi levada para as ruas, em manifestações pela Europa. Na França e na Bélgica, pessoas carregaram cartazes com a mensagem de apoio ao jornal.

FOLHA DE S. PAULO

Atentado islâmico à revista francesa Charlie Hebdo mata chargistas famosos

Homens armados mataram 12 pessoas e feriram outras 10 nesta quarta após invadir a sede da revista ‘Charlie Hebdo’, em Paris, A publicação era acusada de ofender o profeta islâmico Maomé e estava na ‘mira’ de militantes . O presidente francês disse que foi um “ato terrorista”. A polícia procura 4 terroristas, e o país está em alerta máximo.
Fontes judiciais ouvidas pela France Presse confirmaram a morte de 4 importantes cartunistas franceses no ataque: Georges Wolinski, Charb, Cabu e Tignous, todos famosos intrenacionalmente. Wolinski influenciou chargistas do mundo inteiro, inclusive os brasileiros Ziraldo, Jaguar, Nani, Henfil, Fortuna… Charb, jornalista e desenhista, era diretor da “Charlie Hebdo”.
Xavier Castaing, chefe de comunicações da prefeitura para a polícia de Paris, confirmou as mortes. O presidente da França, François Hollande, disse que o ataque foi um ato terrorista e que outros desse tipo haviam sido frustrados “nas últimas semanas”.
Ruas foram fechadas ao redor do prédio no rescaldo do tiroteio e a algumas centenas de metros de distância. No Boulevard Richard-Lenoir, um carro da polícia foi crivado de buracos de bala no pára-brisa, segundo o The Guardian.
COM FUZIS KALASHNIKOV
Testemunhas disseram que os homens abriram fogo com fuzis Kalashnikov e depois fugiram do local. Luc Comovente, um funcionário do sindicato da polícia SBP, disse que eles fizeram vários disparos antes de deixar a área.
Ruas foram fechadas ao redor do prédio no rescaldo do tiroteio e a algumas centenas de metros de distância. No Boulevard Richard-Lenoir, um carro da polícia foi crivado de buracos de bala no pára-brisa, segundo o The Guardian.
A revista francesa gerou polêmica no passado com sua descrição irônica de notícias e assuntos atuais. Seu tweet mais recente foi o desenho animado do líder do grupo Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi.
EM NOME DO PROFETA
Uma testemunha do ataque, Benoit Bringer disse à rede iTele ter visto vários homens mascarados armados com pistolas automáticas chegarem à sede do Charlie Hebdo, no centro de Paris.
Antes de deixarem o local, os homens teriam gritado “Vingamos o profeta!”, de acordo com policiais franceses. Há ainda três feridos internados em estado grave.
Rocco Contento, porta-voz do sindicato dos policiais local, disse aos jornalistas que três suspeitos fugiram em um carro dirigido por um quarto homem. O veículo seguiu no sentido de Port de Pantin, onde o grupo teria roubado outro carro e fugido, de acordo com o The Guardian.
Tribuna da Internet