sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Condenação é marco em histórico de escândalos de Berlusconi

No episódio mais recente da série de escândalos envolvendo o ex-primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi, a Justiça italiana decidiu nesta sexta-feira condená-lo a um ano de prisão por fraude fiscal.
A condenação inicial era de quatro anos, mas foi em seguida reduzida para um ano, em razão de uma lei de anistia aprovada em 2006 com o objetivo de reduzir a população carcerária.
Apesar dos vários processos que tramitam contra ele, esta é a primeira vez que Berlusconi, de 76 anos, é condenado à prisão.
No entanto, espera-se que o ex-premiê recorra da decisão. Segundo o correspondente da BBC em Roma, David Willey, é pouco provável que Berlusconi seja preso, já que a sentença só pode ser executada após confirmação por dois tribunais de apelação.

Caso

O caso pelo qual Berlusconi foi condenado se refere à compra de direitos de exibição de filmes americanos por suas várias redes de TV. Berlusconi e outros réus são acusados de inflar artificialmente os preços dos direitos desses filmes, via duas empresas offshore controladas por ele. Parte do dinheiro seria desviada, em um esquema para pagar menos impostos.
O julgamento foi iniciado em 2006, mas interrompido diversas vezes, em parte devido a uma lei de imunidade que protegia Berlusconi enquanto ocupava o cargo de primeiro-ministro.
Ele também foi condenado nesta sexta a pagar 10 milhões de euros (cerca de R$ 26 milhões) e a ficar afastado de qualquer cargo público por três anos.
Segundo Wiley, deve levar alguns anos até que o recurso de Berlusconi seja analisado. "Então, é provável que ele nunca vá para a prisão".
O ex-primeiro-ministro costuma dizer que as acusações contra ele são motivadas por perseguição política e por um Judiciário com inclinações esquerdistas.

Histórico

Figura dominante na política italiana há mais de 20 anos, Berlusconi não é o primeiro premiê do país a ser condenado por crimes.
Bettino Craxi, um socialista que ajudou Berlusconi a construir seu império na área de telecomunicações, fugiu do país para evitar a prisão após um julgamento por corrupção e morreu no exílio na Tunísia.
No caso de Berlusconi, apesar dos diversos processos relacionados a suas atividades empresariais, ele sempre conseguiu ser inocentado ou ser beneficiado pelo fato de os processos expirarem o prazo legal.
Além das acusações de corrupção, Berlusconi está sendo julgado atualmente em um processo em que é acusado de ter pago por sexo com uma menor e tentar encobrir o episódio.
Ele foi forçado a renunciar ao cargo de primeiro-ministro em novembro passado. Recentemente, afirmou que não planeja concorrer nas próximas eleições, no ano que vem.
BBC BRASIL